Renato Tatagiba revela benefícios dos exercícios físicos antes de uma cirurgia

Renato Tatagiba defendeu exercícios físicos antes de cirurgias (Arquivo Pessoal)


O cirurgião plástico, Renato Tatagiba destacou os benefícios da prática de atividades físicas para a realização de procedimentos estéticos, assim como para um pós-operatório com menos impacto.

Para o médico, quem mantém o hábito de se exercitar regularmente, tem uma probabilidade maior de desenvolver tônus muscular, que ajuda na recuperação de cirurgias.

- Se pratica exercícios físicos, por natureza, a pessoa tem um metabolismo melhor, um sistema imunológico melhor, além de um retorno das atividades básicas mais rápido, mas, principalmente para a cirurgia plástica, quem tem uma prática de exercícios físicos de rotina, tem tônus muscular - aquela postura que os músculos que são constantemente estimulados mantêm - explicou Dr. Renato.

- Costumo dizer que metade de um abdômen bonito é a postura do paciente, e se o paciente não tem hábito de praticar exercícios físicos, ele pode fazer a melhor cirurgia do mundo que não vai resolver, ele tem que ter postura, e postura é tónus, e tônus é musculação, pilates, reposição postural, tudo isso - acrescentou.

Atualmente, as atividades básicas são liberadas no dia seguinte à cirurgia, como fala o cirurgião plástico.

- A gente costuma dizer que as atividades básicas são liberadas no dia seguinte: pentear cabelo, escovar dentes, andar, tudo isso é liberado no dia seguinte. Hoje, não se tem aquela limitação absoluta de movimentos, o repouso é relativo, não é mais absoluto, mas o esforço físico está proibido para cirurgias em geral por 30 dias. Obviamente, algumas cirurgias requerem um pouco mais, principalmente dependendo da atividade física que a pessoa faz - declarou o médico.

Com bom senso, é possível retornar às atividades físicas rotineiras com mais rapidez, mas isso vai depender também do tipo de procedimento cirúrgico pelo qual a pessoa passou.

- Principalmente em cirurgias de nariz, tem que tomar cuidado em esportes de contato, tipo jogar bola, por exemplo, porque você pode tomar uma pancada, imagine o que acontece, né? E os esportes de grande movimentação a gente pede um certo tempo. Fora isso, você vai no limite da sua dor; sempre a dor é o limite, tanto para movimentos normais quanto para exercícios - finalizou.