Renard pede que jogadores sauditas sejam lembrados 'para sempre'

Hervé Renard tenta levar a Arábia Saudita às oitavas de final da Copa do Mundo no Catar. Foto: Khaled Desouki/AFP via Getty Images
Hervé Renard tenta levar a Arábia Saudita às oitavas de final da Copa do Mundo no Catar. Foto: Khaled Desouki/AFP via Getty Images

O técnico Hervé Renard convocou na terça-feira (29) seus jogadores da Arábia Saudita para garantir que eles deixem sua marca na Copa do Mundo no Catar e sejam lembrados "para sempre".

O discurso empolgante do francês Renard no intervalo da surpreendente vitória da Arábia Saudita sobre a Argentina se tornou um momento histórico na história das Copas. Apesar do sucesso da ação, ele admitiu que as conversas com sua equipe nem sempre têm um efeito tão dramático.

Leia também:

"Aceitei que o departamento de comunicação registrasse um minuto (no intervalo), então neste dia tive sorte porque funcionou", disse Renard em entrevista coletiva antes da Arábia Saudita enfrentar o México na última partida da fase de grupos.

"Mas estou treinando há mais de 20 anos e com muita humildade posso dizer que não funcionou o tempo todo, infelizmente!", seguiu.

Dado que o retorno de sua equipe foi contra um dos maiores jogadores de todos os tempos, Messi, "há um grande impacto, ficará para sempre", disse Renard. "Pelo menos algumas pessoas vão se lembrar de mim."

Após bater a Argentina os sauditas perderam para a Polônia e agora precisam vencer o México nesta quarta-feira (30) em sua última partida do Grupo C para garantir uma vaga nas oitavas de final.

O treinador lembrou que a última vez que a Arábia Saudita chegou ao mata-mata de uma Copa foi em 1994, há 28 anos.

"Para os nossos jogadores, é uma geração muito boa, mas se eles querem que os torcedores se lembrem deles, eles devem fazer história, caso contrário, todos esquecerão em 20 ou 30 anos", disse Renard.

A passagem à próxima fase pode ser muito especial para Renard, já que existe a possibilidade de sua equipe enfrentar a França, seu país natal.

"Claro que conheço o sorteio, mentiria se dissesse que não estudei o sorteio. Vamos nos concentrar na classificação, colocando toda a nossa energia para alcançá-la e se amanhã você estiver aqui e isso acontecer, com um grande sorriso, direi que será um grande confronto", analisou.

Apesar da importância do jogo Renard não considera o jogo mais especial de sua carreira, já que insiste que vencer duas finais da Copa Africana de Nações - com a Zâmbia em 2012 e a Costa do Marfim em 2015 – continuam sendo momentos inesquecíveis.