Remanescente do título mundial, Busquets diz que pode ajudar nova geração espanhola

Sergio Busquets durante entrevista coletiva em Doha

DOHA (Reuters) - O capitão da seleção da Espanha Sergio Busquets disse nesta terça-feira que está pronto para canalizar sua experiência como o único vencedor da Copa do Mundo restante na seleção nacional para ajudar seus jovens companheiros de equipe a superar seus nervos no torneio no Catar.

Um dia antes da Espanha abrir sua campanha de 2022 contra a Costa Rica, Busquets disse que espera ser um modelo para os jovens jogadores do plantel, que incluem seus companheiros do Barcelona Pedri, de 19 anos, e Gavi, de 18.

"A Copa do Mundo é única", disse Busquets em uma coletiva de imprensa. "É o maior evento esportivo e às vezes os nervos levam a melhor quando se é jovem e não se tem muita experiência. Eu lhes digo que temos que ser fiéis ao nosso estilo de jogo e a tudo o que temos trabalhado com nosso treinador."

Busquets fez parte da equipe espanhola que venceu o torneio de 2010 na África do Sul sob o então treinador Vicente del Bosque.

O atual técnico Luis Enrique trouxe uma nova geração de jogadores, incluindo alguns que estavam na equipe que chegou às semifinais da Euro 2020 no ano passado, quando foram eliminados nos pênaltis pela eventual campeã Itália.

Busquets disse que conseguir uma vitória na partida de abertura na quarta-feira contra a Costa Rica ajudaria a acalmar o time ainda relativamente inexperiente da Espanha, que é o terceiro mais jovem no Catar.

À frente estão os desafios de enfrentar a Alemanha e o Japão pelo Grupo E.

Luis Enrique, também falando aos repórteres, disse que o atacante Alvaro Morata e o zagueiro Dani Carvajal estavam ambos com resfriados, o que ele atribuiu ao ar condicionado no Catar, mas disse que os dois provavelmente estarão disponíveis para jogar na quarta-feira.

O técnico da Espanha também respondeu às reportagens da mídia que questionavam se p lateral-esquerdo e capitão do Valencia José Gaya tinha uma lesão séria o suficiente para justificar seu corte da equipe e sua substituição por Alejandro Balde, do Barcelona.

"O que meu coração me disse é para manter Gaya, mas então minha mente me disse que eu deveria fazer o melhor para a equipe e o melhor para a equipe é --não há dúvida sobre isso, considerando a lesão de Gaya-- ter dois laterais-esquerdos completamente em forma antes da Copa do Mundo", disse Luis Enrique.

(Por William Schomberg)