Reino Unido vai multar empresas de tecnologia que não removerem conteúdo de automutilação

Por David Milliken

LONDRES (Reuters) - O governo do Reino Unido pretende tornar ilegal o ato de encorajar outras pessoas a se mutilar na internet e multará as empresas de mídia social que não removerem esse tipo material, como parte de uma reformulação da lei que rege o comportamento online.

Promover o suicídio já é ilegal, mas o Ministério Digital, da Cultura, da Mídia e do Esporte do Reino Unido disse em um comunicado que agora busca exigir que as empresas de mídia social bloqueiem uma gama mais ampla de conteúdo.

"As empresas de mídia social não podem mais permanecer como espectadores silenciosos... e enfrentarão multas por permitir que esse comportamento abusivo e destrutivo continue em suas plataformas sob nossas leis", disse a secretária digital Michelle Donelan.

O governo do Partido Conservador disse que as propostas visam bloquear imagens e vídeos semelhantes aos vistos por Molly Russell, uma adolescente de 14 anos cuja morte em 2017 gerou preocupação pública contínua.

Em setembro, o legista que investigava sua morte determinou que as plataformas de mídia social forneceram a ela conteúdo que "romantizava atos de automutilação por parte de jovens".

De acordo com as propostas, as empresas de mídia social terão que remover e limitar a exposição dos usuários a materiais que deliberadamente encorajem as pessoas a se machucarem.