Reinaldo relembra tempos de São Paulo e exalta Ceni, Kaká e Luis Fabiano

Goal.com

Káká, Luis Fabiano e Rogério Ceni são três dos principais ídolos recentes da história do São Paulo. E o ex-atacante do clube, Reinaldo, reconhece o tamanho de cada um deles não só para o Tricolor Paulista mas para a sua própria carreira.

Em live com a Goal, Reinaldo exaltou o ex-goleiro: "Foi a maior liderança positiva com quem eu já convivi. Não era só o capitão, o cara que jogava o par ou ímpar, era um grande capitão, um cara que se preocupava com o dia a dia dos outros jogadores, se preocupava com o clube, com quem trabalha no clube, do cara que corta a grama ao pessoal da cozinha, o vigia. Era algo muito importante".

O ex-jogador atuou com a camisa do São Paulo no começo do século, entre 2001 e 2003, e viu de perto o surgimento de um dos melhores jogadores brasileiros dos últimos anos. "Eu digo que sou um cara abençoado: joguei com o Romário, um dos maiores da história, treinei por uma semana com o Ronaldinho Gaúcho e depois joguei ao lado do Kaká, que viria a ser o melhor do mundo", disse.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ainda sobre Kaká, Reinaldo explica já naquela época o Bola de Ouro de 2007 já era muito querido pelos são paulinos. "Na minha época (no São Paulo) ele já tinha muita moral, já era ‘o cara’ para a torcida, mas sempre muita humildade, me recebeu muito bem e me motivou pra jogar num clube de tantos ídolos como Müller, Careca, o próprio Rogério Ceni. Foi sensacional, aprendi muito com aquele momento".

Reinaldo ainda comentou com a Goal sobre Edílson afirmar que era melhor que Neymar e também escolheu o gol mais marcante da história do Flamengo, clube que defendeu antes de ir para o São Paulo. O ex-atacante também seu melhor parceiro de ataque na carreira: Luis Fabiano.

"Joguei com ele um ano e meio, considero ele o meu melhor parceiro de ataque, pelo entrosamento que a gente conseguiu construir no São Paulo. Eu saía mais da área pra pedir a bola e, quando recebia, já sabia o posicionamento dele, era uma coisa automática. Eu brinco, ele me deve uma parte dos bichos que ele ganhou pelos tantos gols que fez no clube", afirmou.

Não só por atuar ao lado de grandes nomes da história do São Paulo, mas por seus próprios números com a camisa tricolor, ele considera sua passagem pelo Morumbi como melhor momento na carreira.

"Em números, acho que foram em Flamengo e São Paulo. No Fla fui titular por duas temporadas, fiz bons números em  gols marcados. No São Paulo minha média foi ainda melhor, foram 88 jogos e 42 gols, então acho que essas foram minhas melhores versões", afirmou.

Leia também