Regata Neptunus encerra calendário de Vela de Oceano no Rio de Janeiro

·3 min de leitura
Fred Hoffmann


A tradicional Regata Neptunus, organizada pelo Iate Clube do Rio de Janeiro, encerra a temporada de Vela de Oceano no Rio de Janeiro neste domingo, dia 19.

A disputa é uma homenagem ao velejador Sérgio Mirsky, pai de André Mirsky, um dos grandes do passado e obstinado pelo prêmio da Fita Azul, ou seja, o barco que cruza na frente.

Para esta edição teremos em destaque as disputas nas classes BRA-RGS, RGS Clássicos, HPE-25 e Bico de Proa.

"Sérgio Mirsky foi apaixonado, prezava o amadorismo , achava que a tripulação tinha que ser feita de amigos. Ele fabricou, podemos dizer assim, vários tripulantes, sempre pelo prazer de ensinar. ele era obstinado pela Fita Azul, por isso nessa regata valorizamos muito quem cruza na frente. As pessoas normalmente estão focadas em serem campeões da regata e ele, de uma forma diferente de ver, sempre queria chegar em primeiro. Ele é o velejador que tem o maior número de Santos-Rio com 39, uma a mais que o Sérgio Bittencourt do Sorsa. Sempre vale lembrar o espírito de cavalheirismo, o espírito Marinheiro, algo que meu pai prezava e passava para a triupulaçãio. Hoje em dia isso vem se perdendo pelo profissionalismo, pessoal não tem mais a interação que se tinha, pessoal corre a regata e volta para as famílias. Tentar resgatar a paixão de cada um pelo amor, é algo que buscamos nessa regata", diz André.

André Mirsky conta como será o percurso e disputa: "Parece que teremos vento de Leste/Sudeste de 8 até 12 nós , esse ano vamos evitar aproximar da praia de Copacabana. Tínhamos um percurso bem tradicional que ia até a Ilha do Pai com bóia no Leme e terminava dentro da Baía. Esse ano, a sombra dos prédios e a falta de vento perto da praia já é grande, típico do verão carioca. Vamos evitar esse percurso para ter uma regata mais divertida , provavelmente será Ilha Rasa, algo do tipo. Não queremos correr o risco da regata ser chata."

Pegada Social

A Regata Neptunus desse ano não será apenas competição dentro da água e confraternização, mas sim terá a parte social de ajuda a entidades carentes apoiadas pelo Iate Clube do Rio de Janeiro.

"Estamos com uma pegada mais social, ideia do ICRJ era que cada barco deixasse alimento não-perecível para entidades carentes, isso foi feito no começo do ano e muito bem aceito, só que isso acaba dificultando as inscrições dos barcos de Niterói, do Jd. Guanabara, não queremos deixá-los de lado e que a regata Neptunus seja só do ICRJ . Meu pai aprendeu a velejar em Niterói , tinha um carinho enorme por lá. Ficamos muito felizes quando barcos de fora comparecem. Para não criar nenhum empecilho vamos fazer a doação para cada um desses barcos. Importante essa ajuda, um pouquinho que podemos fazer por esse Brasil em um momento complicado", diz André Mirsky, embaixador.

André irá correr no barco Duma de Haakon Lorentzen na briga pela Fita Azul e pelos últimos pontos da temporada no Estadual: "É a regata que fecha o calendário carioca, o Estadual, sempre tem esse Sal a mais pra ver os barcos na disputa dos últimos pontos, tem esse incentivo a mais"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos