Reformulação, euforia e esperança: o 2022 do 'novo' Botafogo


O Botafogo encarou 2022 como a primeira página de uma nova história. Agora liderado pelo empresário norte-americano John Textor, dono de 90% das ações da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) alvinegra, o Glorioso viveu altos e baixos na temporada, mas alcançou seu objetivo principal.

Precisando de reformulação geral em todos os setores do clube, o Alvinegro viveu por muito tempo o que foi chamado de "período de transição". A nova política adotava postura cautelosa, principalmente quanto ao elenco, mas controlou os momentos de dúvida sobre o projeto.

+ Provável saída de Júnior Santos liga alerta no Botafogo para o ataque

Nas arquibancadas, os torcedores fizeram bonito. Empolgados com o alto investimento de Textor, os botafoguenses viveram uma das temporadas mais felizes dos últimos anos, mesmo que o resultado esportivo não tenha sido com troféus.

Objetivo alcançado


Isso porque, independente da possibilidade de classificação para a Libertadores na última rodada - a equipe comandada por Luís Castro acabou sendo derrotada pelo Athletico-PR por 3 a 0 -, o alvo foi atingido em seu primeiro ano com novo modelo estrutural.

Em janeiro, quando ainda preparava para assinar todos os documentos, Textor projetou o Botafogo com uma campanha de permanência, podendo almejar alguma competição internacional. O Glorioso conseguiu uma das vagas para a Copa Sul-Americana.

Tiquinho Soares e Eduardo- Botafogo
Tiquinho Soares e Eduardo- Botafogo

Tiquinho Soares e Eduardo, destaques de 2022 (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Esperança para 2023

Um dos objetivos era deixar o plantel com uma base visando boas campanhas na próxima temporada. Com as contratações de Marçal, Eduardo e Tiquinho Soares, além de peças de destaque, como Jeffinho, Adryelson, Victor Cuesta, Lucas Fernandes e Tchê Tchê, o Botafogo subiu de prateleira e mostrou um caráter competitivo especial, que pode ser trunfo para um 2023 de brilho.

Agora, pensando nos próximos anos e em um legado do projeto, o Botafogo passa a focar na melhoria das instalações. Um centro de treinamento "padrão europeu" é almejado, e a valorização do Estádio Nilton Santos está sendo desenhada em projeto, que já pode sair do papel no início do ano.