Reforços que não estrearam é o único argumento para manter Diniz no Santos

·1 minuto de leitura
Fernando Diniz corre risco de demissão do Santos, após sequência ruim do time. Foto: Fernanda Luz/AGIF
Fernando Diniz corre risco de demissão do Santos, após sequência ruim do time. Foto: Fernanda Luz/AGIF

Em dez dias, o Santos caiu fora da Copa Sul-Americana, perdeu o primeiro jogo das quartas-de-final da Copa do Brasil e foi mal contra Inter e Flamengo. A derrota de 4 a 0 para o Flamengo, na Vila Belmiro, deixou Fernando Diniz pendurado no cargo. O Santos teve mais uma atuação fraca do ponto de vista tático, com escolhas discutíveis do treinador. Parece que mais uma vez, Diniz não conseguirá terminar um trabalho. 

Membros do Comitê de Gestão vão se reunir com o presidente Andrés Rueda Garcia para definir a situação de Diniz. A diretoria contratou quatro jogadores que ainda não estrearam e esse argumento talvez sirva para manter Diniz. 

O zagueiro uruguaio Emiliano Velázquez, o meia Augusto e os atacantes Diego Tardelli e Léo Baptistão vão acrescentar no elenco diminuto de opções de qualidade. Como o Santos joga contra o Cuiabá, no próximo sábado, Diniz ainda pode ter mais uma chance. 

Na Série A do Brasileiro, o Santos dorme na 11ª posição com 22 pontos, mas pode perder colocações por outros resultados da rodada. 

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos