Reforços para 2022 tem dificuldade para emplacar no Santos; veja balanço

O zagueiro Eduardo Bauermann assumiu a condição de titular na zaga do Santos (Foto: Ivan Storti / Santos)


A temporada 2022 do Santos terminou de forma melancólica. A equipe amargou eliminações dolorosas, brigou para não cair no Campeonato Paulista assim como aconteceu na temporada passada, e terminou o Brasileirão deste ano sem grandes conquistas. O Peixe tentou, com reforços, mudar este cenário, mas não conseguiu.


> 2ª pior pontuação da história! Relembre o desempenho do Santos em cada Brasileirão por pontos corridos

De todos os contratados para a temporada, apenas três terminaram o ano com status de titulares absolutos: o zagueiro Eduardo Bauermann, o volante Rodrigo Fernández e o meia-atacante Soteldo. Vale destacar que, por lesões, o também zagueiro Maicon teve dificuldades para embalar.

Além de Soteldo, Rueda trouxe o meia-atacante Ricardo Goulart com a estrela da equipe, mas acabou não vingando e deixou o clube antes do esperado: preferiu sair após atuações ruins e, dias depois, assinou com o Bahia. O meia culpou o técnico Fabián Bustos pelo fracasso.

Veja o balanço e o resumo dos jogadores que chegaram neste ano:

Maicon

Experiente, o defensor foi contratado em março e depois de um começo irregular se tornou “chefe” da zaga do Santos ao lado de Bauermann. O grande problema é que precisou enfrentar uma série lesões. Ao todos, foram 27 jogos e 2 assistências pelo clube.

Eduardo Bauermann

Anunciou no começo do ano, o zagueiro Bauermann foi um dos poucos jogadores que corresponderam a expectativa. Seguro, o defensor assumiu a titularidade da equipe e deve ser mantido para 2023.

Ao todo o camisa 4 disputou 58 jogos, marcou 2 gols e de uma assistência no Alvinegro Praiano.

Auro

O jogador chegou ao Peixe no dia 14 de fevereiro com respaldo do ex-executivo de futebol do clube, Edu Dracena. A contratação dividiu o departamento de futebol. Na época, Fábio Carille queria manter Daniel Guedes. Já Dracena preferiu Auro. Ao todo, são 14 jogos no Santos, sem gols ou assistências.

Em baixa, o jogador foi liberado e não vai permanecer para o próximo ano.

Nathan

Natural do Rio de Janeiro, Nathan foi revelado na base do Vasco da Gama. Destaque na categoria sub-20, o lateral foi promovido aos profissionais em 2020 como uma das principais promessas do clube, principalmente por sua técnica apurada e polivalência, já que pode também ser usado como ala, ponta e até meia.

No Peixe, demorou um mês para estrear. O jogador terminou a temporada como titular, principalmente pelas saídas de Madson e Auro. O clube está no mercado e deve contratar mais um lateral-direito para disputar posição com Nathan. Foram 9 jogos em 2022.

Willian Maranhão

Maranhão chegou ao Santos no final de março. Ele estava no Bahia e custou cerca de R$ 500 mil para adquirir cerca de 70% dos direitos econômicos do atleta. Sob desconfiança dos torcedores, o volante foi um “plano B” para contratação de Alison, frustrada após uma grave lesão joelho sofrida.

Pelo Peixe, forma 9 jogos disputados. Com a confiança do ex-executivo de futebol do clube, Edu Dracena, Willian Maranhão precisou enfrentar vaias por parte da torcida. O volante também passou por problemas pessoais, fato que o tirou de alguns jogos. Seu contrato com o clube da Vila vai até o final de 2024.

Sem clima para continuar no Santos, Maranhão foi emprestado ao Atlético-GO. Ao foram 18jogos disputados pelo Dragão, um sendo o capitão da equipe. A equipe tem interesse na permanência do volante, mas a situação financeira atrapalha.

Rodrigo Fernández

O uruguaio é uma das poucas unanimidades na equipe. Fernández chegou ao clube no final de março do Guaraní (Paraguai) e tem empréstimo ao Peixe até o final da temporada, com opção de compra após o encerramento do vínculo.

Os valores para contratação em definitivo giram em torno de R$ 6 milhões, na cotação atual e, naturalmente, há o interesse em permanecer com o jogador. Em 2022 foram 38 jogos e um gol.

Bruno Oliveira

Ele chegou por empréstimo da Caldense até o fim de 2022, com opção de compra. Foram apenas 23 jogos no ano e várias partidas fora até mesmo dos relacionados. Até o momento, o jogador não foi procurado para renovar e deve sair.

Bruno é natural de Vinhedo (SP) e torce pelo Santos desde a infância. No currículo, acumula passagens por Bragantino, XV de Piracicaba e Grêmio Osasco antes de chegar à Caldense.

Soteldo

Desde que retornou ao Peixe, Soteldo entrou em campo em sete jogos e deu uma assistência, logo na estreia, contra o São Paulo, na vitória por 1 a 0 na Vila. O meia chegou a desfalcar o Peixe em dois jogos por conta da convocação para Seleção da Venezuela.

O meia-atacante Soteldo foi diagnosticado uma lesão no bíceps femural da coxa direita e não participou dos últimos jogos. A tendência é que volte para pré-temporada. Ao todo, foram sete jogos no ano. Contando suas duas passagens, são 112.

Luan

Luan foi anunciado pelo Santos no dia 5 de agosto, em contrato por empréstimo até o final da temporada, podendo ser prorrogado por mais um ano. O Corinthians ficou responsável por pagar a grande parte do salário do jogador, cerca de R$ 700 mil, enquanto o Peixe paga R$ 100 mil.

Desde que chegou ao Alvinegro da Vila Belmiro, fez oito jogos e marcou um gol, contra o Athletico-PR. O gol colocou fim em um longo jejum sem marcar: a última bola na rede foi na goleada do Corinthians por 5 a 0 sobre o Sport Huancayo, na Neo Química Arena, pela fase de grupos da Sul-Americana no dia 20 de maio de 2021.

Mas, o saldo foi negativo e, sem grande destaque, o Peixe decidiu não renovar com o meia-atacante.

Ricardo Goulart

À época maior reforço da gestão Andres Rueda, o ex-camisa 10 foi anunciado pelo Peixe no dia 11 de janeiro. A negociação era considerada mais difícil, porém, viável. O jogador aceitou a proposta com salário de cerca de R$ 500 mil, além de bônus por ações de marketing. Goulart ficou empolgado com o projeto apresentado pelo Santos e assinou um contrato de dois anos de duração.

No campo, porém, as coisas não funcionaram. Ele entrou em campo apenas 30 vezes, marcou quatro gols e deu três assistência. No Campeonato Paulista, emplacou uma sequência de jogos como titular e foi importante na classificação pela Copa do Brasil contra o Fluminense-PI, empatando no final do jogo. Com o tempo, perdeu espaço.

A ideia de deixar o clube partiu do próprio jogador. Segundo apuração do DIÁRIO DO PEIXE, Goulart admitiu que não vinha contribuindo o necessário e, após perder um dos pênaltis na eliminação para o Deportivo Táchira, ficou sem clima para seguir no Peixe. Ele abriu mão de todos valores que tinha para receber.

Jhojan Julio

O jogador foi anunciado no final de março, estreou contra o Fluminense no Maracanã e recebeu elogios. Em seguida, marcou um dos gols da vitória santista contra a Universidad Católica, na Vila Belmiro. A lua de mel, porém, terminou aí.

O camisa 8 não conseguiu repetir o bom desempenho e começou a enfrentar críticas por parte dos torcedores. Em maio, Julio chegou a desativar suas redes sociais por conta dos ataques virtuais. Ele soma 21 jogos, um gol e apenas duas assistências. O Peixe tenta antecipar o retorno do jogador à LDU.

Angulo

Nascido em Guayaquil, no Equador, o camisa 15 tem 26 anos e foi revelado no Rocafuerte FC, time de sua cidade natal. Destaque nas categorias de base, o atacante foi contratado pelo Emelec e iniciou sua carreira profissional em 2014.

Em 2019, ainda na gestão do ex-presidente José Carlos Peres, o jogador foi procurado pelo Peixe. Na época, o atleta foi um pedido do técnico argentino Jorge Sampaoli, mas as negociações não evoluíram. Porém, foi em 2023, com aval de Fabián Bustos, que o jogador chegou ao Santos.

Ao todo, foram 24 jogos, cinco gols e uma assistência. O atacante ficou marcado após perder um gol contra o Ceará e precisou lidar com críticas da torcida. O Peixe não descarta uma liberação antecipada de seu contrato.