Recordista de denúncias, dono de bar em MG ironiza fiscalização por Covid-19: "comemorando meu quase réu primário"

·2 minuto de leitura
Fiscais multaram o bar em R$4.500 reais por falta de alvarás necessários para o funcionamento - Foto: Prefeitura Betim/Divulgação
Fiscais multaram o bar em R$4.500 reais por falta de alvarás necessários para o funcionamento - Foto: Prefeitura Betim/Divulgação

Mesmo após meses de pandemia e mais de 200 mil mortes pela Covid-19 no Brasil, ainda há quem zombe da gravidade do novo coronavírus. O proprietário de um bar autuado pela Vigilância Sanitária em Betim neste final de semana foi visto em uma rede social desdenhando da ação dos fiscais.

No vídeo, de acordo com o "Estado de Minas”, o proprietário do estabelecimento está entre amigos logo após receber a atuação por não ter alvará sanitário e de localização para funcionar.

Leia também

Em determinado momento, o homem ironiza ao dizer que está “comemorando” o seu “quase réu primário”. No fundo, ouve-se uma música que diz “coronavírus nunca me assustou, já peguei coisa pior". Ainda nas imagens, é possível ver o homem fazendo gestos em referência à prisão.

O episódio aconteceu na noite deste sábado (09) depois de uma força-tarefa da Guarda Municipal de Betim, Vigilância Sanitária e Polícia Militar realizarem uma fiscalização para o cumprimento do decreto que proíbe festas, aglomerações e o funcionamento dos bares e restaurantes após as 21 horas. As medidas tem como objetivo frear o avanço do vírus no estado.

De acordo com o "Estado de Minas”, a prefeitura de Betim diz que chegou ao bar depois de receber denúncias de vizinhos que reclamaram de música alta e aglomeração no local, que é recordista de denúncias.

A prefeitura alega ainda que o proprietário sempre dificulta a entrada dos fiscais sanitários pelo fato do bar funcionar em sua residência.

O horário limite para funcionamento dos bares é 21h, mas os ficais chegaram ao local às 22h30 e autuaram o dono por falta de documentação exigida para funcionar e ausência de protocolos sanitários. A multa aplicada foi de R$4.500 reais.