Recorde com seleção da França é recompensa por minha paciência, diz Giroud

Atacante da seleção da França Oliver Giroud durante treino na Copa do Mundo do Catar

Por Julien Pretot

DOHA (Reuters) - Olivier Giroud acredita que seu recorde de gols marcados com a camisa da seleção da França é um grande exemplo para os jovens jogadores, porque foi uma recompensa por sua resiliência após uma carreira com muitos altos e baixos.

Giroud, 36 anos, superou a marca de Thierry Henry quando marcou seu 52º gol em 117 partidas pelos Bleus na vitória por 3 x 1 sobre a Polônia nas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar, tornando-se o maior artilheiro da França em todos os tempos.

Não foi fácil para Giroud, que raramente tem sido considerado uma primeira escolha para a seleção de seu país.

Ele deve seu lugar no time no Catar à ausência de Karim Benzema e será novamente titular quando os atuais campeões mundiais enfrentarem a Inglaterra nas quartas de final do torneio, no sábado.

Giroud estreou no Campeonato Francês atuando pelo Montpellier aos 24 anos de idade, antes de ganhar sua primeira partida pela França um ano depois.

Após a eliminação francesa nas oitavas de final da Eurocopa do ano passado contra a Suíça, Giroud deixou de ser convocado pelo técnico da França, Didier Deschamps, até março.

"Este recorde me lembra os anos que passaram, 11 anos com a França com muitas boas lembranças e algumas não tão boas", disse Giroud, que respondeu perguntas em francês, inglês e italiano, em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira.

"Acho que o mais importante é dar um bom exemplo aos jovens jogadores, mostrar-lhes que mesmo que o caminho não seja simples, eles podem trilhá-lo."

"Eu não estava jogando no nível mais alto aos 20 anos, então se isso pode servir de exemplo de que tudo é possível, é ótimo. Mostra que não se pode ter tudo de imediato, como os jovens querem agora, que a resiliência e a paciência são fundamentais", disse.

A carreira de Giroud parecia estar empacada, mas ele se juntou ao Milan em 2021 e foi rejuvenescido.

"Eu tinha que encontrar outro desafio para mim mesmo. Foi uma grande oportunidade para eu jogar pelo grande Milan, eu queria fazer tudo certo porque sabia que ainda tinha alguns bons anos pela frente", disse Giroud, que marcou 23 gols em 57 partidas pelos Rossoneri.

"Eu estava confiante de que poderia jogar bem e em meu primeiro ano ganhamos o Scudetto (título do campeonato italiano)."