Realizado por estar na Seleção, Arthur Cabral garante: 'Podem esperar um jogador muito brigador'

·2 minuto de leitura


Novidade de última hora de Tite para a Seleção Brasileira, o atacante Arthur Cabral esbanjou expectativa por sua primeira convocação. Chamado para o lugar de Matheus Cunha (cortado devido a uma lesão), a quem desejou melhoras, o jogador de 23 anos não poupou agradecimentos ao pai (auxiliar do Campinense), irmãs, amigos, colegas, ex-técnicos e foi taxativo.

- Estou realmente muito feliz e realizado. Sou paraibano de Campina Grande, vim de um futebol bem humilde, com gente bem humilde. E acredito muito que cada pessoa que me formou foi importante nesse momento. Todos sabem a gratidão que tenho. Meu muito obrigado a todos que foram fundamentais para estar aqui hoje - disse.

>>>> Veja a classificação das Eliminatórias da Copa do Mundo!

O jovem, que marcou 20 gols em 17 jogos no Campeonato Suíço, crê que seu potencial foi acentuado na Europa.

- Acredito que evoluí muito na Europa, principalmente na questão tática. Sou muito jovem, cheguei na Europa com 21 anos, então acredito que estou num processo de evolução. Como costumo sempre dizer, busco sempre evolução. Se hoje sou melhor do que fui no passado, ano que vem quero ser melhor do que fui hoje - e destacou o futebol suíço:

- Valorizam muito a parte técnica, tática, na Suíça ainda mais. Essas questões me ajudaram muito a sentir esse gostinho de vestir a camisa da Seleção - completou.


Arthur Cabral detalhou como acredita que pode corresponder com a amarelinha.

- Sei que muitas pessoas estão me conhecendo agora, estão buscando saber quem é esse Arthur Cabral. Eu dou a vida do primeiro ao último minuto em campo, não só fazendo gol, mas claro que é o que me deixa mais em evidência. Mas correndo pelos companheiros e brigando. Podem esperar um jogador muito brigador e que vai tentar ajudar de todas as formas dentro de campo - disse.

Em seguida, o jogador de 23 anos destacou qual é o seu ídolo de infância.

- Meu ídolo é o Ronaldo Fenômeno, com certeza. Era minha referência desde criança. Costumo dizer que desde que comecei realmente a entender futebol me inspirei muito nele. Não imaginava que ia ser atacante, mas já o tinha como grande referência - declarou.

O Brasil vai a campo nesta quinta-feira (7), contra a Venezuela, às 20h30 (de Brasília).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos