Real Madrid sem Casemiro: desafio e maior dor de cabeça para Zidane

Goal.com

Zinedine Zidane completou 48 anos nesta terça-feira (23) e não lhe faltam motivos para comemorar. Além do aniversário em si e da carreira vitoriosa, o seu Real Madrid lidera a tabela de classificação de La Liga (o Barça passou a frente após vitória apertada sobre o Athletic Bilbao, estando momentaneamente com um jogo a mais), mas o duelo desta quarta (24), contra o Mallorca, lhe dá um presente de grego: a missão de dar segurança ao time na ausência de Casemiro.

Quer ver o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O volante brasileiro está suspenso pelo acúmulo de cartões e não é exagero dizer que, hoje, só não é mais importante para o time do que Karim Benzema. Estamos falando não apenas do jogador que mais vezes foi escalado como titular (38, considerando todas as competições) nos Blancos, mas que também acumula o maior número de minutos em campo pelo time nesta temporada (3390).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A importância do meio-campista para o ex-craque e atual treinador está além de qualquer dúvida. Casemiro é homem-chave no Real de Zizou, que faz constantes elogios ao jogador revelado pelo São Paulo. Após a conquista da Supercopa da Espanha, no início de 2020, Zidane abraçou Casemiro e lhe disse, emocionado, “você é um monstro”.

Casemiro já havia participado de campanha de título europeu com o Real Madrid em 2013-14, mas apesar de boas atuações não era visto pelo então técnico Carlo Ancelotti como alguém indispensável – tanto que logo na sequência foi emprestado ao Porto, de Portugal.

O sucesso definitivo do brasileiro com a camisa merengue coincide com a chegada de Zidane, que havia sido auxiliar de Ancelotti em 13-14, para assumir o comando de um time em crise no meio da campanha 15-16. De lá para cá o Madrid conquistou outras três Champions League e um campeonato espanhol – para citar apenas as principais taças.

Mas talvez seja justamente nesta atual temporada 19-20 em que um Zidane mais estratégico, e que vem provando ser um treinador cada vez melhor, que Casemiro tenha alçado um nível de importância maior do que antes. Focado ainda mais na função defensiva, de destruir os ataques adversários – enquanto um jovem Fede Valverde mostra seu talento e fôlego ao seu lado, subindo mais ao ataque – a sua presença decide jogos a favor dos merengues.

Real Madrid sem Casemiro = menos vitórias

Zinedine Zidane Real Madrid 2020
Zinedine Zidane Real Madrid 2020
(Foto: Getty Images)

Considerando todas as competições disputadas na atual temporada, Casemiro esteve ausente em cinco jogos: foram duas vitórias, o mesmo número de empates e uma derrota. O impacto é mais bem retratado nas estatísticas. Sem ele a porcentagem de vitórias cai de 62.2% para 40%, segundo a Opta Sports, e a média de gols sofridos ganha um leve aumento (0.9 tentos contra por jogo para 1 por partida). Isso acontece porque o Real Madrid acaba permitindo mais finalizações aos oponentes (9 chutes contra por jogo com Casemiro, 10.2 sem ele). É quase como dizer que, sem o brasileiro, é certeza que os merengues sofrerão um gol.

Veja a classificação atualizada de La Liga

Faltando oito rodadas para o término de La Liga 2019-20, o Real Madrid trata cada jogo como uma final na briga contra o Barcelona. E o próximo adversário, apesar de historicamente modesto na Espanha, foi um dos três que bateram os merengues nesta temporada (vitória por 1 a 0 na nona rodada). Naquele duelo, Casemiro e o Real Madrid não foram bem e a fase também não era nada boa, retratando um pouco o quanto a boa forma de um contribui para a melhora da equipe como um todo. Foi apenas na reta final de 2019 que os merengues, e Casemiro, atingiram sua melhor fase nesta campanha.

Sem ter o seu querido “monstro” para o jogo desta quarta-feira, Zidane terá uma preocupação a mais. Ainda que na entrevista coletiva tenha tentado, sem sucesso, fugir do assunto.

“Ele não pode jogar, esteja eu muito preocupado ou não”.

Leia também