Real Madrid empata em casa com Chelsea (1-1) na ida das semifinais da Champions

·4 minuto de leitura

Real Madrid e Chelsea vão decidir a vaga na final da Liga dos Campeões na próxima semana, depois de empatar em 1 a 1 nesta terça-feira no jogo de ida das semifinais do torneio continental.

O time inglês saiu na frente com um gol do meia americano Christian Pulisic (14), mas 15 minutos depois o atacante francês Karim Benzema deixou tudo igual (29), resultado que deixa o duelo em aberto para a partida de volta no estádio de Stamford Bridge, em Londres, na próxima quarta-feira.

Para o técnico do Real Madrid, Zinedine Zidane, o resultado foi justo. "Nosso primeiro tempo não foi dos melhores devido à pressão, tivemos dificuldades, mas no segundo tempo jogamos melhor", disse o francês na coletiva de imprensa pós-jogo.

"Jogamos contra uma equipe que tem jogadores rápidos, principalmente os que estão na linha de ataque. Por isso, sim, o resultado foi justo", insistiu.

Já o técnico do Chelsea, Thomas Tuchel, lamentou a perda de gols na primeira etapa: "Tenho a impressão de que devíamos ter vencido no primeiro tempo, mas não tivemos sorte e faltou definição na área adversária", disse após o empate.

Em uma partida que começou com muita intensidade e foi se acalmando com o passar dos minutos, a equipe merengue sofreu diante do Chelsea, principalmente no primeiro tempo.

Timo Werner deu seu recado logo cedo com um chute a apenas dois metros da linha do gol, defendido com o pé por Thibaut Courtois (10), dando início a uma atuação que impediu um resultado melhor para os visitantes.

Mas o belga não pôde fazer nada pouco depois quando Pulisic, após receber nas costas da defesa, o driblou na saída e abriu o placar (14).

O gol foi um duro golpe para a equipe madrilenha, superada pela chegada rápida dos 'Blues', enquanto pressionava sem precisão.

O Chelsea venceu a batalha no meio de campo onde N'Golo Kanté, verdadeiro maestro do time inglês, se livrou de Casemiro chegando com facilidade à área adversária para auxiliar Pulisic e Werner.

- Benzema aparece -

Em meio à tormenta, Benzema apareceu como salvador sob a forte chuva que caía no estádio Alfredo Di Stefano, trazendo tranquilidade para o Real Madrid.

O francês primeiro assustou com uma bomba que explodiu na trave aos 23 minutos. Pouco depois, dominou uma bola na área com a cabeça e, sem deixar cair, fez um belo gol de 'puxeta' empatando a partida (29).

Foi seu sexto gol nesta temporada na Liga dos Campeões (está a dois gols do terceiro colocado, o polonês Robert Lewandowski, do já eliminado Bayern de Munique) e igualou outro jogador histórico do Real Madrid, Raúl González, com 71 tentos.

O gol serviu para acalmar os donos da casa, que tinham dificuldades para se livrar da pressão dos rivais.

A equipe merengue foi melhorando com o passar dos minutos, fechando linhas e diminuindo os espaços que o Chelsea havia aproveitado no primeiro tempo. Com isso, o time inglês passou a ter mais dificuldade de chegar com mais perigo à meta adversária.

Os 'merengues' começaram a chegar com mais frequência e Zinedine Zidane decidiu colocar Eden Hazard no lugar de Vinícius Junior (66), que pouco apareceu nesta terça-feira.

O Chelsea abandonou seu ritmo acelerado do início do primeiro tempo e se fechou, assim como o Real Madrid, com as duas equipes mais cautelosas e buscando a posse de bola

O Real Madrid continuou tentando atacar pelas laterais, principalmente na esquerda, onde apareceram Hazard e Asensio, que entrou no lugar do lateral brasileiro Marcelo, mas foi difícil encontrar as brechas na sólida defesa dos ingleses.

Os merengues acabaram pressionando com suas últimas forças, mas o placar não se alterou mais. O empate deixa tudo em aberto com uma ligeira vantagem para o Chelsea, o que obrigará o time madrilenho a partir para cima em busca do gol em Stamford Bridge.

"Estamos bem e sabemos o que temos de fazer, por isso o jogo de volta será diferente", garantiu Marcelo à emissora de televisão Movistar +, ao fim duelo.

"Entramos com uma proposta de fazer as coisas e não conseguimos, mas quando começamos a fazer o que queríamos foi diferente", acrescentou.

O lateral, que assumiu a braçadeira de capitão do time espanhol por conta da ausência de Sergio Ramos, afirmou estar "muito feliz porque Karim (Benzema) marcou", mas lembrou que na "equipe são mais de 25 jogadores, estamos todos aqui para ajudar", disse o jogador, que fez sua partida de número 99 na Liga dos Campeões.

gr/pm/aam