Real Madrid campeão: e isso é notícia?

·3 minuto de leitura
Zidane e Sergio Ramos, invariavelmente campeões - FOTO: Denis Doyle/Getty Images

É campeão de La Liga com uma rodada de antecedência e 100% desde a pandemia o maior campeão da Espanha (34 vezes). O maior campeão da Europa (13 vezes). O maior campeão do mundo pela Fifa (4 vezes). O maior campeão mundial desde o primeiro interclubes (7 vezes).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Não sei se está no DNA. Mas ninguém sabe mais do que o Madrid. Mais uma vez.

Não é só dinheiro. Não é só política. E nem sempre foi assim.

Entre 1933, ano do segundo título merengue, e 1953 (tirando as três temporadas sem futebol por desgraça da Guerra Civil Espanhola, no final dos anos 1930), o Madrid não foi Real. E quem era o senhor dos campos espanhóis era o Athetic hexacampeão.

Leia também:

Apenas em 1961 o Real Madrid o superou em conquistas. Uma temporada depois do penta europeu. Duas antes de enfim o madridismo superar o Barcelona como maior campeão espanhol, em 1963.

Só entre 1981 e 1985 o Madrid sofreria um interregno de conquistas nacionais. Cinco campeonatos sem títulos. Mesmo agora na fase mais vencedora nacionalmente do maior rival, desde a chegada de Guardiola para conquistar a primeira das 8 ligas do Barça desde 2009, o Madrid ainda respondeu com três Champions sucessivas (o que não acontecia na Europa desde 1976).

E agora volta ao trono da casa com eficiência e com Zidane e com o redivivo Modric regendo o time que vai rangendo dentes rivais.

Ganhando do Villarreal por 2 a 1 em Madri. Não no Bernabéu em obras. Mas no Di Stéfano sem gente e com apenas 6 mil lugares para a torcida mais campeã da história.

Aquela muito bem defendida por um mais uma vez inexpugnável Courtois. Por um Varane que parece que não se cansa de ser campeão. Parece até o próprio clube.

Por um Sérgio Ramos que é o melhor zagueiro que seu time pode ter. E o pior adversário para nosso time enfrentar. Atrás e à frente. Na bola ou sem ela. Dentro ou fora da regra.

Por Hazard que ainda não é aquele. Mas pode ser. Como segue sendo tudo Casemiro. Marcelo quando pode. Vinicius Jr. e Rodrygo também vão chegar lá. E já onde chegaram já é demais.

Como joga demais Benzema. O mais solidário goleador destes tempos e campos merengues.

Tudo aquilo que Bale não é.

E segue sendo muito caro.

Mas é o Madrid que pode abrir pé dele como Zidane já abriu mão.

E como Zizou não tem igual. Craque mais elegante que vi na vida, consegue manter a elegância como treinador que não é só maravilhoso para o Madrid.

É para o futebol.

Como não se pode imaginar o jogo sem um campeão como ele. Zidane.

Como o futebol e ainda mais rico com maior campeão de tudo e de todos.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos