Real bate o Atlético nos pênaltis e é campeão da Supercopa da Espanha

João Vítor Castanheira
LANCE!


O Real Madrid é campeão da Supercopa da Espanha 2019/2020! Após um duelo morno no tempo normal e uma prorrogação agitada, o 0 a 0 persistiu e o jogo seria decidido nos pênaltis. E aí, foi premiada a efetividade do time merengue, que acertou todas as cobranças e venceu o Atlético de Madrid por 4 a 1, neste domingo, em Jidá, na Arábia Saudita.

Sergio Ramos, carrasco dos colchoneros na Liga dos Campeões 2013/2014, converteu a cobrança do título. Brilharam Rodrygo, ao colocar no ângulo, e Cortouis, ao defender a batida de Thomas Partey. É a 11a vez que os Blancos faturam a Supercopa espanhola. Apesar da expulsão no final do tempo extra, Frederico Valverde foi eleito o melhor jogador da competição.


Diferente dos outros anos, quando o campeão do Espanhol enfrentava o vencedor da Copa do Rei em dois jogos, nesta edição, além dos dois campeões nacionais, os vices também disputam o torneio, dividido em jogos únicos de final. Assim, Real e Atlético, que nada venceram na última temporada, mas bateram Barcelona e Valencia nas semis da Supercopa, decidiram o torneio no King Abdullah Sports City , em Jidá-SAU.

TEMPO NORMAL DE POUCA EMOÇÃO

Depois grandes jogos nas semifinais, Real e Atlético ficaram aquém das expectativas. No primeiro tempo, uma das poucas chances foi a boa batida de pé esquerdo de Casemiro, de fora da área, que Oblak encaixou.

Depois de certo domínio inicial dos merengues, o Atlético equilibrou as ações e respondeu após erro de Sérgio Ramos. O zagueiro tentou sair jogando e entregou nos pés de João Félix, que da meia-lua, jogou para fora a oportunidade cristalina.





Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Real Madrid x Atlético de Madrid - Supercopa espanha
Real Madrid x Atlético de Madrid - Supercopa espanha

Real e Atlético fizeram primeiro tempo truncado (Foto: AFP) 

No início do segundo tempo, Jovic deu o ar da graça e esquentou um pouco as coisas. O atacante arrancou, deu bonito corte para ludibriar a marcação colchonera e bateu cruzado, tirando tinta da trave de Oblak. A melhor chance do Atlético na etapa final também teve marca de um centroavante. Tripper lançou para Morata, nas costas da defesa dos blancos, e o camisa 9 bateu de chapa, para boa defesa de Courtois.

Já nos acréscimos, caiu nos pés do brasileiro Rodygo a melhor chance do jogo. Carvajal fez boa jogada pela direita, cruzou, Mariano Díaz fez o desviou e a bola sobrou para o brasileiro, que pegou de bate-pronto, queimando a grama, mas Oblak pegou sem dar rebote. Assim, a partida se encaminhou, pela quinta vez entre os clubes na história, para o tempo extra.

PRORROGAÇÃO
Na prorrogação, a emoção que não houve o jogo todo. Na primeira chance, Nolito tabelou com Morata, recebeu na área, mas chegou sem perna e bateu fraco, na direção de Courtois.

No segundo tempo. ainda mais agito. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou na marca do pênalti para Morata, que bateu, e Courtois pegou no reflexo. No lance seguinte, Oblak, esbanjando reflexo, pegou finalizações de Marino e Rodrygo de dentro da grande área.

Nos instantes finais, a zaga merengue bateu cabeça e Saúl empurrou para Morata. O espanhol sairia na cara do gol, mas Valverde não quis apostar, parou a jogada com um carinho por trás e foi expulso. O Atlético pressionou enquanto tempo, mas o jogo seria decidido na grande fábrica de heróis e vilões.









Real Madrid x Atlético de Madrid - Supercopa espanha - Valverde
Real Madrid x Atlético de Madrid - Supercopa espanha - Valverde

Valverde recebe cartão vermelho (Foto: AFP) 

PÊNALTIS
​Carjaval iniciou a disputa batendo cruzado e deslocando Oblak. Saúl também tirou Courtois da foto, mas acertou a trave esquerda, deixando os rivais em vantagem. Rodrygo, em cobrança perfeita, acertou o ângulo. Partey bateu cruzado, para a defesa do goleiro belga, e o Real abriu 2 a 0.

Modric também converteu e deixou os Merengues a um pênalti do título. Trippier acertou o cantou esquerdo e adiou a comemoração. Cairia nos pés do carrasco Sergio Ramos o pênalti do título. O capitão foi frio, bateu cruzado, com categoria, e deu mais um título ao Real Madrid.



Leia também