Presidente da Federação Peruana é acusado de assassinato pela 2ª vez

EFE

Lima, 17 abr (EFE).- O presidente da Federação Peruana de Futebol (FPF), Edwin Oviedo, foi denunciado pelo Ministério Público do Peru por um assassinato, dez dias depois do início de um primeiro processo, em que responde pelo mesmo crime.

O dirigente foi acusado de ser o mandante do homicídio, a tiros, de Percy Farro, que era dirigente do sindicato de uma empresa açucareira do Grupo Oviedo, conglomerado empresarial do mandatário da entidade esportiva. O crime aconteceu em 2015.

A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público ao Oitavo Juizado de Investigação Preparatória da cidade de Chiclayo, capital da região de Lambayeque, no norte do Peru.

Também foram acusados outros diretores do Grupo Oviedo, além de um segurança da empresa açucareira. Caso condenados, as penas máximas variam entre 26 e 29 anos de prisão.

O advogado do presidente da Federação Peruana, Carlos Isla, garante que a acusação é "nula" e "inconsistente", já que vai contra uma decisão da justiça do país, que pediu para reunir em um só caso, todas as mortes de sindicalistas da empresa açucareira.

Há dez dias, o MP já havia apresentado primeira denúncia contra Oviedo, pelo assassinato, em 2012, do dirigente sindical Manuel Rimarachín, da mesma companhia pertencente ao conglomerado do mandatário da FPF.

Na semana passada, por meio de comunicado, o dirigente esportivo negou a acusação a respeito do caso mais antigo. Além disso, Oviedo acusou a promotoria de atuar de maneira parciais e de violação ao seu direito de defesa. EFE


Leia também