Rashford aproveitou a sua chance, e provou que o United está se preparando para viver sem Ibra

Assim que saiu a escalação do Manchester United para enfrentar o Chelsea, domingo (16), boa parte dos torcedores vermelhos entraram em pânico. Afinal de contas, Zlatan Ibrahimovic, grande artilheiro do clube na temporada, estava no banco de reservas.

Para muitos, a ausência do cara que estufou as redes em 28 oportunidades era motivo o bastante para duvidar que o United poderia conquistar uma vitória sobre os líderes da Premier League. Marcus Rashford, substituto do sueco, não havia mostrado ao longo dos últimos meses o faro de gols necessário para vencer um grande rival.

Mas, como diz o ditado popular, “o futebol é uma caixinha de surpresas”. E quando Rashford foi substituído no minuto 83, para a entrada justamente de Ibrahimovic, a torcida se levantou e bateu palmas para o menino de 19 anos, que fez gol na vitória por 2 a 0 e foi um dos grandes destaques de um dos triunfos mais marcantes da temporada para o United.

Marcus Rashford Manchester United

(Foto: Getty Images)

Com todos os holofotes direcionados para si, Rashford não foi destaque apenas por ter estufado as redes dos londrinos: ele deu uma canseira danada para o forte sistema defensivo montado pelo italiano Antonio Conte. O camisa 19 dava arrancadas direto em direção ao gol, mas também rodava todo o campo de ataque para participar das ações defensivas, como roubas bolas dos pés adversários.

Jose Mourinho , Ibrahimovich

​(Foto: Getty Images)

Rashford ganhou muitos prêmios no último domingo: gol, palmas da torcida e elogios do técnico José Mourinho. Após a vitória, o português não escondeu a felicidade com o pupilo, apesar de deixar claro que o inglês ainda precisa evoluir como finalizador: “ele está sempre em campo, na direita, na esquerda ou no centro; com um atacante ou dois. Acho que, para a sua educação, para a sua educação e cultura tática, esta temporada está sendo fenomenal para ele, com uma incrível gama de experiências distintas”, afirmou. “Ele está fazendo gols o bastante? Não. Acho que ele está errando um pouco e, mesmo hoje, na primeira oportunidade ele não marcou. Mas o garoto jogou muito bem”, completou.  

Em uma temporada marcada pelo excesso de gols contabilizados por Ibrahimovic, o United chegou ao seu segundo compromisso seguido sem que o sueco balançasse as redes. Apesar de ter sido titular no empate por 1 a 1 com o Anderlecht, pela ida das quartas de final da Europa League, o tento dos ingleses foi anotado por Henrikh Mkhitaryan. E no domingo (16), Rashford teve o seu dia de glórias para dar ao sueco um merecido descanso.

É claro que os gols de Zlatan Ibrahimovic são importantes. Mas como o vínculo de um ano do sueco ainda não foi renovado, o assunto nos pubs de Manchester é a possível ‘Ibradependência’ que pode acontecer em Old Trafford no futuro próximo. Entretanto, a vitória sobre o Chelsea mostrou um indício de que, se houver um planejamento sério, o clube poderá lidar com essa ausência.

No domingo (16), Rashford recebeu a sua primeira oportunidade no comando de ataque nesta temporada. Uma decisão tomada para descansar o camisa 9, mas a verdade é que se Mourinho não estivesse tão certo de sua estratégia o sueco entraria no sacrifício. Ou seja: talvez o futuro sem Ibrahimovic não seja tão sombrio quanto o torcedor acredita. Talvez esses dois últimos jogos tenham sido um indício de que José Mourinho já esteja se preparando, da melhor maneira possível, para a despedida. Mkhitaryan foi o maestro na Europa League, e Rashford destroçou o Chelsea. Zlatan ainda é o Rei de Manchester, mas a passagem da coroa pode ser feita da melhor maneira possível.