Ramiro entende redução salarial no Timão: 'Funcionários precisam mais'


Os jogadores do Corinthians estão se mostrando conscientes em relação às necessidades do quadro de funcionários e à situação financeira do clube diante da crise causada pela pandemia de coronavírus. Dessa vez quem falou pelo elenco foi Ramiro, que revelou o compromisso dele e de seus colegas para tentarem causar o menor impacto possível nas contas do Timão e na vida dos colaboradores corintianos que podem ser afetados nesse caos econômico.

Em entrevista ao programa "Bem, Amigos!", do SporTV, o volante do Corinthians entende que o impacto financeiro nas condições atuais é inevitável. Diante disso, ele disse que entre os atletas tem havido constantes conversas sobre esse assunto, inclusive em relação à recente perda do patrocínio da MarjoSports, na última segunda-feira, que rompeu contrato amigavelmente.

- É um assunto que a gente vem debatendo bastante entre nós jogadores, diretoria e comissão técnica também, porque a questão toda eu acredito que seja impactar o menos possível, porque impactar, vai impactar, não tem jeito. Acho que a gente está vivendo uma situação que é inevitável que mudanças aconteçam, perdas de patrocínio, como está acontecendo, diminuição de renda e algumas demissões - comentou o corintiano.



Nos debates entre os jogadores, segundo Ramiro, todos se colocaram à disposição para conversar com o clube a fim de ajudar os funcionários. É pensando neles que o elenco concorda com o corte salarial de 25% na carteira de trabalho, já que entende que o impacto é menor do que seria na vida dos colaboradores do Timão, que recebem muito menos do que os atletas.

- O que nós temos conversado e colocado em pauta, e nós jogadores nos colocamos à disposição é: para não perder funcionários, a gente concorda com redução. Acho que a gente tem que pensar no bem coletivo e hoje o jogador do Corinthians, felizmente, tem um bom salário. Então para nós não faz tanta diferença, de repente ter uma redução em um mês, ficar um mês sem receber, do que um funcionário do clube que recebe um ou dois salários mínimos e a família depende desse dinheiro - explicou.

Ramiro reforçou a posição do grupo em prol dos funcionários, com a consciência de que são pessoas mais necessitadas que podem ser prejudicadas neste momento difícil. Dessa forma, ele abriu a possibilidade para que uma nova redução aconteça também para o mês de junho, pensando inclusive em causar o menor impacto possível nas finanças do Corinthians.

- A nossa posição como atletas, e todo mundo do grupo concordou com isso, a gente nos deixa à disposição para redução em prol dos outros funcionários que, no nosso modo de pensar e de entender, precisam muito mais. Então pensando na saúde financeira do clube, na saúde financeira de diversas famílias, que estão conectadas com o clube, a gente chegou em um acordo e já foi feito isso no mês de maio, provavelmente no mês de junho também seja feito para que o clube consiga impactar o menos possível na parte financeira.

O acordo do Corinthians com o elenco para redução de 25% dos salários em carteira valeu para o mês de maio, com possibilidade de renegociação para os próximos meses. Já os funcionários tiveram cortes de 50% a 70% baseados em medida provisória do governo, algo que foi prorrogado pelo clube por mais 60 dias. Em reunião recente, a diretoria chegou a decidir demitir alguns colaboradores e dispensar atletas da base para enfrentar a crise.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também