Ramón Díaz promete mudança de mentalidade no Botafogo: 'A equipe não pode entrar para empatar'

Sergio Santana
·4 minuto de leitura


O Botafogo tem um novo nome à frente da casamata. Ramón Díaz foi apresentado oficialmente nesta terça-feira no Estádio Nilton Santos e iniciou os trabalhos como comandante do Alvinegro. Em entrevista coletiva, o argentino afirmou que o objetivo a curto prazo é tirar a equipe da parte inferior da tabela do Campeonato Brasileiro.

- Agradecer ao clube por me dar a oportunidade. É o clube mais tradicional do Brasil, com muita história. Foi isso que fez o meu corpo técnico trabalhar aqui. Posso prometer muita dedicação, disciplina e trabalho, tudo que eu fiz durante a minha carreira. Sabemos que o clube passa por uma situação de zona de rebaixamento, mas tem bons jogadores, tem tudo para sair disso - afirmou.

O Botafogo é o rei dos empates no Brasileirão, mas esta situação incomoda o argentino. 'Don Ramón' prometeu que promoverá mudanças de atitude na equipe desde o primeiro dia no comando do elenco e que tudo será possível já na próxima partida, diante do Red Bull Bragantino, na próxima segunda-feira, pela 21ª rodada.

- Isso se trabalha. A equipe precisa mentalizar que cada ponto em jogo é muito importante. A equipe não pode entrar para empatar, apenas para vencer. Vamos colocar uma nova mentalidade. Já começamos a falar com os jogadores e vamos trabalhar para que isso não volte a ocorrer - analisou.

- Já na segunda você vai ver algo diferente. Eu espero que os jogadores entendam os conceitos táticos. O resultado é fundamental, temos confiança na equipe e nos jogadores - completou.

Ramón não foge da necessidade de resultados a curto prazo, mas também toca na necessidade da mudança de mentalidade tática. O argentino mostrou confiança em resultados positivos.

- Sempre que um treinador chega a um novo clube quer imediatamente resultados. O Botafogo está em uma situação que demanda dedicação. Precisamos de mudança total, que a torcida nos apoie. Sei que vamos sair dessa situação, temos uma equipe com muito espírito. Isso me deu muita tranquilidade para vir - bradou.

CONFIRA MAIS DECLARAÇÕES DE RAMÓN DÍAZ:

Projeto
- Sei para que os treinadores os resultados são muito importantes. Quando trocam é porque algo não funciona. Viemos para um projeto e com certeza vamos ficar por muito tempo. Queremos formar um projeto de bom jogo e conseguir resultados rapidamente.

Derrota para o Bahia
- O último jogo, contra o Bahia, vi que tinha a possibilidade de ganhar ou perder, como aconteceu. Algumas coisas vamos mudar. Seja no aspecto tático e físico. Trataremos de que o grupo se acostume rápido com nosso estilo de treinamento.

Time do Botafogo
- Botafogo tem na parte defensiva jogadores jovens, zagueiros rápidos, os laterais atacam muito. Aí vamos mudar algumas táticas, mas o que eu gosto é que temos juventude. Conseguiremos trazer ritmo. Quero que cada jogador se sinta à vontade.

Trabalhar no Brasil
- Sempre tive grande ligação com o futebol brasileiro. Já passei aqui muitas vezes aqui e eu gosto das características do jogo. É claro que vamos colocar nosso estilo, nossa forma, mas eu queria há muito tempo vir para o futebol brasileiro.

Objetivos
- A meta é sair rapidamente dessa situação. Temos dois partidas em casa e quero ganhar esses jogos. Para isso temos que mudar a atitude, a agressividade, o ritmo. Isso vamos trabalhar nesse pouco ritmo que teremos.

- Estou muito feliz de estar nesse clube. Todos os torcedores têm expectativa e nós também. É um clube grande e seguramente queremos que a equipe seja protagonista. É uma equipe grande.

Superar o momento difícil
- Primeiro que eu gosto de desafios, por isso vim para esse clube. Toda a minha comissão tem uma responsabilidade de sair rápido dessa situação. O Botafogo vai mudar e muito. Tático, atitude e em termos de mudar o resultado.

- Quero sair dessa situação. Estou muito feliz nesse clube porque me deu a oportunidade de vir ao Brasil. Esse clube precisa voltar ao primeiro nível.

- Eu gosto de desafios. Acredito que já passei por situações difíceis, até mais complicadas que essa. Sei que a única maneira de sair disso é com muito trabalho e dedicação. Que os jogadores se dediquem a defender os clubes onde estão.

Estrutura
- Eu acredito que o clube é grande, tem um estádio divino e quando passar essa pandemia a torcida possa vir, que aí já é outro jogo. O que vi aqui desde que cheguei foi muito carinho e que o clube tem tudo que um treinador precisa para trabalhar.