Ramírez comenta dificuldade do Inter em marcar contra o Always Ready

·1 minuto de leitura


Na entrevista coletiva depois do empate em 0 a 0 contra o Always Ready pela última rodada da fase de grupos na Libertadores, o técnico Miguel Ángel Ramírez colocou no âmbito da fatalidade o fato do Internacional não ter conseguido marcar mesmo criando um alto volume de chances.

>Vai começar o Brasileirão! Veja a tabela e simule os resultados

O espanhol relembrou os dois outros confrontos disputados pelo Colorado em casa na Liberta (6 a 1 diante do Olimpia e 4 a 0 contra o Deportivo Táchira) e avaliou que, em partidas da última quarta-feira (26), é de suma importância conseguir o mais rápido possível a abertura do marcador.

- Eu disse no dia que vim aqui (na sala de coletiva) quando fizemos seis gols, quatro gols, que tem dias que a bola não entra. Você gera tantas chances ou mais, mas não entra. Nesse tipo de partida, é fundamental fazer o primeiro porque, se não, as coisas não se abrem - comentou o treinador.

- A gente sabia que eles iam se fechar, que não íamos ter espaço, que ia ser difícil e, conforme o passar do tempo, o Always ficou a um gol de classificar, mas não foi buscar, não quis buscar em nenhum momento. Mesmo assim, com poucos espaços, criamos muitas chances - concluiu.

Antes de saber qual será seu oponente nas oitavas de final da competição continental, algo que será revelado no sorteio da próxima terça-feira (1), o Internacional estreia no Brasileirão no próximo domingo (30) recebendo no Beira-Rio o Sport.