Rafael Vaz vive má fase e vira alvo no Flamengo

VINICIUS CASTRO

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O zagueiro Rafael Vaz experimenta o outro lado da moeda no Flamengo na atual temporada. Depois de um 2016 positivo ao lado do parceiro Réver, o defensor coleciona algumas falhas e vive uma espécie de "inferno astral" no Rubro-negro.

Vaz passou a experimentar uma severa resistência de boa parte da torcida. Algo parecido já ocorreu em níveis até maiores com Márcio Araújo, Pará, Gabriel e Marcelo Cirino, por exemplo. A fase do zagueiro não é das melhores, mas ele conta com o apoio dos companheiros para se recuperar.

"Nós conhecemos a qualidade dele. Todos podemos melhorar, não só o Vaz, o Flamengo todo pode subir de nível. Estamos com ele. Possui total apoio da equipe", afirmou o meia Diego.

No empate por 1 a 1 com o Fluminense, no último domingo (2), em Cariacica, Rafael Vaz foi muito vaiado. Ele esteve em uma tarde infeliz e errou saídas de bola em sequência. Uma delas quase resultou em gol do adversário. O defensor também estava desatento em uma bola rolada pelo goleiro Muralha e que saiu pela linha lateral.

O zagueiro já havia visto as críticas aumentarem desde a derrota para a Universidad Católica-CHI por 1 a 0, pela Copa Libertadores. Naquele jogo, ele errou o recuo para o goleiro Muralha e Santiago Silva perdeu um gol feito. Vaz chegou a sofrer ofensas racistas em suas contas nas redes sociais e ficou bastante chateado com o caso.

As falhas em saídas de bola não são novas. A primeira delas pelo Flamengo foi ainda no Campeonato Brasileiro do ano passado. Em 26 de junho, Rafael Vaz optou por recuar para Muralha. No entanto, o passe saiu fraco. Richarlison aproveitou e garantiu o triunfo do Fluminense por 2 a 1, na Arena das Dunas.

Apesar do momento desfavorável do zagueiro e da pressão da torcida nas arquibancadas e nas redes sociais, o discurso do técnico Zé Ricardo aponta para a manutenção de Rafael Vaz entre os titulares.

"O torcedor é exigente, mas a responsabilidade é toda minha. Peço para que os jogadores tentem a saída de bola construindo jogadas. Só fazemos ligação direta em último caso. Em alguns momentos, os atletas vão errar. O Rafael Vaz, o Márcio Araújo... São jogadores de alto nível. Eles continuarão ajudando o time dentro do que pensamos de futebol", encerrou.