GloboNews corrige erro e jornalistas negros emocionam com debate sobre racismo

Yahoo Vida e Estilo
Profissionais negros da Globo assumiram o 'Em Pauta' da última quarta-feira (3) para debater o racismo (Foto: Reprodução/GloboNews)
Profissionais negros da Globo assumiram o 'Em Pauta' da última quarta-feira (3) para debater o racismo (Foto: Reprodução/GloboNews)

Destaque na cobertura das manifestações antirracistas no mundo inteiro, a GloboNews falhou na última terça-feira ao escalar apenas jornalistas brancos para debater os protestos no ‘Em Pauta’. Após repercussão negativa nas redes sociais, a emissora admitiu e reparou o erro na edição de ontem (2) do jornal, que já é considerada histórica. Seis profissionais negros da casa dividiram o comando do noticiário e, em relatos emocionantes, relembraram experiências com o racismo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

O apresentador Marcelo Cosme abriu o programa fazendo uma autocrítica em nome da GloboNews e pediu desculpa para os telespectadores. “Os jornalistas que dividiram comigo a cobertura, todos experientes e de alto nível profissional, eram todos brancos. Eu estaria mentindo se dissesse que foi um acidente. A Globo tem a diversidade como um valor e se orgulha dos profissionais negros que têm em frente às câmeras e por trás delas”, disse na abertura.

Leia também

“Por razões históricas e estruturais de nossa sociedade, também na Globo os colegas negros ainda não são tantos quanto desejado”, completou Cosme. A atração exibiu um tuíte que chama atenção para a gravidade do erro e como deveria ter acontecido no início da semana, os jornalistas negros assumiram a discussão do tema. A frase “rapaziada, o assunto é racismo”, crítica do internauta Irlan Simões que viralizou nas redes sociais, guiou o ‘Em Pauta’.

Sob o comando de Heraldo Pereira, que celebrou a novidade, as jornalistas e comentaristas Zileide Silva, Maju Coutinho, Aline Midlej, Flávia Oliveira e Lilian Ribeiro fizeram discursos pessoais sobre racismo.

A âncora do ‘Jornal Hoje’ foi aplaudida pelo público ao desabafar sobre o preconceito na profissão. “Não quero ser mais só chamada para entrevistas que falem sobre as questões do negro. Temos muito mais a oferecer e é importante que se normalize a nossa presença falando de diversos assuntos”, disparou.

Maju relata experiências com o racismo (Foto: Reprodução/GloboNews)
Maju relata experiências com o racismo (Foto: Reprodução/GloboNews)

A veterana Zileide Silva também relembrou um episódio em que foi vítima de preconceito durante o trabalho e mandou recado para os colegas negros, pedindo para que eles “levantem o nariz” quando forem vítimas de discriminação. “Não dá para, jamais, baixar a cabeça... Em nenhum momento, em nenhuma hipótese”, disse.

Lilian Ribeiro falou sobre o racismo no país. “Está no olhar. No olhar de quem não nos vê ou de quem só nos vê em determinados lugares. [No trabalho] Tenho sempre uma tática de chegar com o microfone em punho para ninguém ter dúvida de que, naquela situação, eu sou a jornalista e sou também uma mulher negra. Esses olhares que nos acompanham são a marca do racismo à brasileira”, relatou.

Zileide Silva e Lilian Ribeiro emocionam no 'Em Pauta' (Foto: Reprodução/GloboNews)
Zileide Silva e Lilian Ribeiro emocionam no 'Em Pauta' (Foto: Reprodução/GloboNews)

Ela também fez Heraldo se emocionar ao contar sobre as dificuldades que sua família passou para que ela pudesse ir à universidade. Lilian conta que o pai deixou de comprar uma calça para que pudesse pagar seus estudos. “Não precisa ser assim. As pessoas não precisam sofrer tanto para chegar lá”, comentou. Pereira agradeceu a declaração com a voz embargada. Confira:

A iniciativa extremamente necessária foi comemorada pelo público. “É isso: reconhecer o erro e corrigir”, “que seja apenas o começo da mudança”, “profundamente emocionado”, “programa histórico” e “ponto para os negros” são alguns dos comentários.

Leia também