Racing elimina o Flamengo com uma folha salarial muito menor

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Jogadores do Flamengo compõem o elenco mais caro do país (Alexandre Vidal/Flamengo)
Jogadores do Flamengo compõem o elenco mais caro do país (Alexandre Vidal/Flamengo)

Um mês da folha salarial do Flamengo paga quatro meses e meio do elenco e da comissão técnica do Racing. Apesar do abismo financeiro entre os clubes, deu Racing nas oitavas de final da Libertadores, com vitória nos pênaltis, nesta terça-feira, em pleno Maracanã.

O Flamengo é dono do elenco mais caro do Brasil e desembolsa aproximadamente R$ 22,5 milhões mensais. Já o Racing tem uma folha salarial que não ultrapassa os R$ 5 milhões.

No clube de Avellaneda, os atletas mais bem pagos faturam algo na casa dos R$ 200 mil mensais - é o caso, por exemplo, de Lisandro López, atacante e capitão do time, responsável por cavar as expulsões de Thuler e Rodrigo Caio, uma em cada jogo.

Já o teto salarial no Flamengo é ocupado por Gabigol, que embolsa R$ 1,6 milhão por mês. Sozinho, o artilheiro rubro-negro representa quase um terço dos custos do Racing com todo o seu departamento de futebol. Até atletas criticados como Gustavo Henrique estão bem acima do limite do Racing - o ex-zagueiro do Peixe fatura R$ 700 mil mensais entre salários, imagens e luvas.

Desta maneira, o prêmio de R$ 8 milhões a que terá direito o Racing pela classificação às quartas de final da Libertadores representará mais do que um mês e meio da folha. Já o Flamengo caiu duas fase antes daquilo que havia projetado, determinando um rombo de R$ 18,5 milhões. Somados aos R$ 29 milhões perdidos na Copa do Brasil e o Fla já desperdiçou quase R$ 50 milhões em apenas duas semanas.