Raí 55 anos: ídolo dos campos ainda busca sucesso como dirigente no São Paulo

Goal.com

Nesta sexta-feira (15), um dos maiores ídolos da história recente do São Paulo completa 55 anos. Raí fez parte de uma geração extremamente vitoriosa do clube e ao longo de 10 temporadas pelo tricolor paulista conquistou duas Libertadores, uma Copa Intercontinental (antigo Mundial de Clubes), uma Recopa Sul-Americana, um Brasileirão e seis títulos do Campeonato Paulista. 

Pelo número de taças conquistadas, é fácil de ver que o momento do São Paulo era bem diferente naquela época. E para tentar devolver ao tricolor seus melhores dias, Raí aceitou o desafio de se tornar diretor esportivo e, dessa vez, ajudar o clube do lado de fora do campo. 

Porém, a missão não é das mais fáceis. Após convite de Leco, no final de 2017, o ex-jogador assumiu seu novo cargo para substituir Vinicius Pinotti, contratado para mudar o rumo do tricolor. Mas após duas temporadas e meia, os títulos ainda não vieram. E para ajudar, algumas polêmicas atrapalham a vida do diretor. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A mais recente envolveu o presidente da república, Jair Bolsonaro. Raí deu uma declaração pessoal muito forte em relação ao posicionamento de Bolsonaro no combate à pandemia do novo coronavírus e chegou a sugerir a renúncia do político.

A fala do dirigente irritou alguns conselheiro do São Paulo e o comentarista da Rede Globo, Caio Ribeiro, ex-jogador do tricolor, os quais consideraram que a declaração poderia prejudicar o clube. 

Além disso, ainda em 2020, quando o futebol ainda acontecia no Brasil, Raí e Lugano, que também é membro do departamento de futebol, se descontrolaram contra a arbitragem após empate por 0x0 com o Corinthians. A dupla se revoltou com um suposto pênalti não marcado em Igor Gomes e partiram para cima do juiz, que precisou de ajuda dos policiais no Morumbi para conter os ânimos dos envolvidos. Como resultado, os dois foram suspensos por 15 dias, o que também gerou muitas críticas ao diretor executivo.

Dani Alves Leco Rai Sao Paulo 06082019
Dani Alves Leco Rai Sao Paulo 06082019
Foto: NELSON ALMEIDA/AFP/Getty 

Mas além das polêmicas fora de campo, Raí também coleciona alguns maus resultados esportivos. Em 2018, o São Paulo foi eliminado na primeira fase da Copa Sul-Americana pelo inexpressivo Colón, da Argentina. Um ano depois a história se repetiu, mas na Pré-Libertadores, contra o Talleres, também da Argentina. Ainda em 2019, na única final que o clube alcançou com Raí como diretor, no Campeonato Paulista, nova derrota para o Corinthians. 

Apesar disso tudo, o dirigente conseguiu montar um time competitivo para o ano de 2020, com Dani Alves, Juanfran, Pato, Pablo e Tchê Tchê sob comando de Fernando Diniz. O novo treinador tem agradado, mas quando tudo parecia que poderia melhorar, veio a pandemia do novo coronavírus e paralisou o futebol. 

Mas o time forte também custou caro. O tricolor apresentou um déficit de R$ de 156 milhões em 2019 e vem brigando para conseguir equilibrar as contas. Para isso, o clube conta com a venda de Antony ao Ajax, mas a dívida total já chega em R$ 414 milhões.

Mas como geralmente acontece nos times brasileiros, qualquer polêmica ou dívida acaba sendo esquecida com títulos relevantes em campo.

Leia também