Rússia lamenta veto à participação olímpica, mas vê com alívio liberação para atletas

Gabrielle Tétrault-Farber
·1 minuto de leitura
Prédio do Comitê Olímpico da Rússia, em Moscou

Por Gabrielle Tétrault-Farber

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin afirmou nesta sexta-feira que uma decisão que mantém parcialmente a proibição da Rússia na Olimpíada devido ao doping é lamentável, embora tenha acrescentado que considera animador que atletas russos possam participar dos Jogos de forma independente.

Atletas russos serão proibidos de competir sob a bandeira do país em grandes eventos internacionais, incluindo as Olimpíadas, até 2022, depois que um tribunal suíço manteve as punições por doping na quinta-feira, mas reduziu pela metade a pena original de quatro anos.

"É claro que lamentamos essa decisão, a vemos negativamente", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. “Mas, ao mesmo tempo, o principal é que os atletas estão conquistando o direito de participar das competições” como competidores neutros.

A Agência Mundial Antidoping (Wada) afirmou que as medidas foram "o conjunto de consequências mais forte já imposto a qualquer país por violações relacionadas ao doping".

As autoridades russas, apesar do desapontamento com as sanções, se concentraram no fato de que o resultado não foi o pior e que os russos continuarão participando dos eventos esportivos de maior prestígio do mundo.

"O resultado de hoje é uma vitória da Rússia", disse na quinta-feira Mikhail Bukhanov, diretor em exercício da agência antidoping russa Rusada. "A CAS não cerceou o direito dos atletas limpos de competir nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, assim como em campeonatos mundiais."

O ministro dos Esportes, Oleg Matytsin, declarou ser "positivo" que as sanções durem apenas até dezembro de 2022, em vez de quatro anos.

(Reportagem de Maxim Rodionov)