Rômulo Mendonça: de saída da ESPN, narrador marcou transmissões com bordões inusitados


De saída da "ESPN", o locutor Rômulo Mendonça ficou marcado por um jeito de narrar descontraído e repleto de bordões engraçados que despertavam a atenção do público. O narrador importou esse estilo de locução para os vários esportes que narrou durante sua trajetória na emissora: futebol, basquete, futebol americano, vôlei e outros.

Com o tempo, o narrador se notabilizou principalmente com os fãs da NBA. Criando bordões "diferentões" e dando apelidos inovadores para os atletas, Mendonça virou peça fundamental das transmissões de basquete da ESPN. Relembre alguns dos bordões e apelidos utilizados pelo locutor.

+ E se esses 25 nomes do futebol entrassem no BBB? Confira!

"NEY LATORRACA"


O bordão "Ney Latorraca", gritado por Rômulo Mendonça em diferentes situações impactantes dos jogos, surgiu por acaso. O narrador estava brincando ao dizer que o comentarista Eduardo Agra estava parecendo com o personagem Barbosa, interpretado pelo ator Ney Latorraca, que tinha o costume de repetir a última palavra dita por outra pessoa. No meio da fala sobre o artista, o grego Giannis Antetokounmpo enterrou a bola de maneira incrível e o nome acabou virando exclamação: "NEY LATORRAAAAAACAAAA".

"PAPAI LEBRÃO" E "LEBRON LADRÃO"

Um dos maiores jogadores da história, LeBron James foi reconhecido com um bordão e uma música de Rômulo Mendonça. Além de chamar o jogador de "Papai Lebrão", o locutor cantava a música: "LeBron ladrão, roubou meu coração" após grandes jogadas do astro. Quando acompanhado pelo comentarista Ricardo Bulgarelli nas transmissões, os dois costumavam entoar a canção em coro.

LeBron James
LeBron James

LeBron James é jogador dos Lakers atualmente (Foto: Jared C. Tilton/AFP)

+ LeBron James pode bater marca histórica na NBA ainda nesta temporada; confira

"VENENO DA JARARACA" e "BRINQUEDINHO ASSASSINO"

Outro grande da história do basquete, Stephen Curry também foi agraciado com um bordão e um apelido por Rômulo Mendonça. Steph era chamado de "Brinquedinho Assassino", em referência ao boneco Chucky, por "matar" os adversários com suas bolas de três. Depois de uma jogada bonita do astro, o narrador costumava exclamar "Veneno da jararaca, tsc, tsc, tsc", imitando a cobra, para exaltar a letalidade do arremessador.

Stephen Curry
Stephen Curry

Stephen Curry é recordista da NBA em bolas de três (Foto: Thearon W. Henderson / AFP)

+ Stephen Curry se elege entre os cinco melhores jogadores de todos os tempos da NBA

"RITMO RAGATANGA"

Quando um jogador vivia uma noite especial, Rômulo dizia que estava "possuído pelo ritmo ragatanga" e completava cantando a música "Asereje", do grupo Rouge.

"PORTEIRO DO ENEM" E "AQUI NÃO, QUERIDINHA"

Rômulo também desenvolveu dois jeitos de exaltar um toco bonito de um defensor no basquete. Um era chamar o atleta de "porteiro do ENEM", brincando com os profissionais que impediam os atrasados de prestar a prova, e o outro era gritar "Aqui não, queridinha".

Luka Doncic Draymond Green
Luka Doncic Draymond Green

Draymond Green e Luka Donic (Foto: Ezra Shaw / AFP)

+ “Tenho sete anos na NBA para me tornar bilionário”, afirma Ja Morant

"COM LICENÇA PRA MATAR"

Antes de um arremesso que tinha tudo para ser letal, Rômulo Mendonça dizia que o arremessador tinha "licença para matar".

"POR QUE VOCÊ ME DEIXA TÃO SOLTO?"

Outra marca musical de Rômulo Mendonça era a canção "Sozinho", de Caetano Veloso. Quando um jogador recebia a bola sem ninguém na marcação, o narrador cantava o trecho "Por que você me deixa tão solto? E se eu me interessar por alguém?".