Réver contesta pensamento que o Galo tem tabela mais 'fácil' na reta final do Campeonato Brasileiro

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


A parte de cima da tabela do Brasileirão está bem agitada. Os seis primeiros colocados no momento (São Paulo, Internacional, Atlético-MG, Flamengo, Palmeiras e Grêmio). E, os próximos duelos do campeonato serão decisivos, incluindo os da 31ª rodada.

O Galo, por exemplo, vai a Porto Alegre encarar o Grêmio nesta quarta-feira. A diferença entre os dois times é de apenas três pontos. Por isso, o alvinegro poderá entrar no “céu”, “colando” no líder São Paulo, ou cair em um “inferno”, se for derrotado, pois poderá trocar de lugar com os gaúchos e sair da terceira para sexta posição na tabela.

Com uma decisão desse nível e o equilíbrio do campeonato em alta, fazem o zagueiro Réver pensar que aqueles que falam sobre uma tabela mais amigável para o Galo nas próximas rodadas, é uma falácia, mesmo com postulantes ao título tendo confrontos diretos pela frente, diferente do Galo, que encara times do meio e da parte de baixa da tabela.

Réver sabe que uma vitória em Porto Alegre é essencial para o alvinegro seguir na briga pelo campeonato, independentemente dos compromissos dos rivais.


SIMULE OS JOGOS DO GALO EM NOSSA TABELA!

- Nós sabemos da importância que ganhou essa rodada, pelo fato de todos os times do G-6 se enfrentarem. É uma rodada que pode dar indícios a quem realmente vai estar brigando pelo título. A gente tem um jogo muito difícil contra o Grêmio fora de casa. Acredito que tem tudo para ser um grande jogo e que nós tenhamos a felicidade e competência de ir lá e buscar esses três pontos- disse.

O Galo terá, além do Grêmio, só mais um duelo contra equipes do G6, o Palmeiras, na última rodada do campeonato. Os demais compromissos são contra Vasco(briga para não cair), Fortaleza (briga para não cair), Goiás (briga para não cair), Fluminense( meio da tabela), Bahia (briga para não cair) e Sport (briga para não cair).

Mas, para o capitão alvinegro a tabela menos complicada, em teoria, não é um fator que torna o time favorito à conquista do brasileiro.

- As equipes que estão brigando na parte de baixo acabam endurecendo ainda mais os jogos. Talvez se você enfrentar uma equipe que está lutando pela mesma coisa que você, ela pode dar um pouco mais de espaço e isso acaba fazendo a diferença, até porque a equipe precisa muito das vitórias e acaba sendo mais exposto o esquema tático- finalizou.