Régis é apresentado ao torcedor do Cruzeiro e fala da boa relação com o técnico Enderson Moreira

Valinor Conteúdo
LANCE!


O meia Régis, agora jogador do Cruzeiro, falou oficialmente como atleta do clube pela primeira vez. O meia, de 27 anos, está emprestado pelo Bahia até o fim de 2020 e deu uma entrevista ao canal oficial da Raposa.

Régis disse que já teve uma conversa com o técnico Enderson Moreira e citou o jogo mais incisivo, agudo, como sua principal característica.

- Eu tenho a característica de sempre buscar o gol. Mas, primeiramente, quero somar para os companheiros. Tenho certeza que, com os jogadores que temos, a comissão que temos, vamos fazer um grande ano. Falando de mim, sou um jogador que sempre busca o gol, sou muito agudo, sirvo bem os companheiros. E não vai faltar disposição, nem raça. A individualidade vai aparecer naturalmente-disse.

O empréstimo do meia, que veio do Bahia, pode ser prorrogado caso a Raposa seja promovida à Série A do Brasileiro.

Régis revelou estar ansioso pela estreia no time mineiro e quer foco no futuro para dias melhores.

- Tenho recebido mensagens de apoio, as pessoas me acolheram muito bem. Espero corresponder dentro de campo. No Cruzeiro, a gente tem que esquecer o passado. Pensar para frente, pensar nos nossos objetivos. Com muito trabalho, vamos fazer um grande ano e voltar o Cruzeiro para onde nunca deveria ter saído. Para mim, é um prazer enorme estar vestindo essa camisa. Quando houve o interesse, fiquei muito feliz. Não pensei duas vezes. É um grande clube, que tem uma grande torcida. Tem uma história que dispensa comentários. Então, espero chegar bem, conquistar a torcida e, principalmente, conquistar nossos objetivos-disse.










Régis e Enderson Moreira voltarão a trabalhar juntos. A dupla esteve no Bahia em 2018. Enderson solicitou a vinda do jogador e o entrosamento de ambos é forte, já que o meia citou um traço forte na personalidade do treinador.

- O que eu tenho para falar que é um excelente profissional, pessoa muito correta. Fala no olho, que é o mais importante. É um paizão também, abraça o jogador. Tenho certeza que, com todo o suporte que o Cruzeiro oferece para os jogadores e toda comissão, não vai ser diferente dos excelentes trabalhos dele. Já trabalhei com o professor, com a comissão inteira. Conheço alguns jogadores, quase todos de de jogar contra. Mas tem o Marllon, que já joguei no Corinthians, conheço o Robinho. Tem o Jean, volante. Conheço a grande maioria-disse.

Já como jogador da Raposa, Régis comentou o andamento do seu trabalho de condicionamento físico, que foi iniciado com a supervisão do clube, na última segunda-feira, 4 de maio.

- Estou na minha cidade(Turmalina, interior de São Paulo), uma cidadezinha pequena, um pouco afastada. Aqui tem 2 mil habitantes, Turmalina, mas treino todos os dias e fico com as minhas coisas. Estou na zona rural. Tenho personal, segue todo o protocolo. O Edy (Carlos), preparador físico, tem enviado. Estamos seguindo protocolo, aí fico livre para cuidar das minhas coisas, que é o que me distrai-disse. Confira a entrevista completa de Régis abaixo.







Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também