Luana "ganhou" vaga de última hora na Copa

Yahoo Esportes
(Assessoria CBF)
(Assessoria CBF)

A meia Adriana, do Corinthians, foi convocada por Vadão para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo da França. Um dia antes do anúncio da lista, contudo, a meio-campista do Corinthians rompeu o ligamento do joelho enquanto comemorava um gol pelo Brasileiro e precisou se cortada. A comissão técnica então chamou Luana Bertolucci, que joga no KSPO, da Coréia do Sul. Ao Deixa Ela Jogar, a jogadora falou sobre o chamado e a expectativa de jogar o principal torneio feminino do planeta pela primeira vez.

“Eu não sabia [que tinha sido convocada], estava com a internet do celular desligada, foi uma amiga quem me ligou para dar a notícia. Vi no site da CBF e pensei ’nossa, que louco'”, riu a atleta de 26 anos, que já esteve no Mundial Sub-17 e Sub-20. "Eu sabia que tinha chance, mas nunca sabemos quais serão as escolhas da comissão. É uma emoção muito grande, as melhores jogadoras do mundo estarão lá, Copa do Mundo é de uma grandeza diferente.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também

A jogadora afirmou ter falado com Adriana para desejar uma boa recuperação à companheira. “Assim que soube que ela tinha sido cortada quis dar umas palavras de apoio. Sei como é difícil porque já passei por essa lesão, não em um momento tão crucial como ela, mas a gente sente. Falei para ela ter paciência que tinha certeza que ela voltaria para a seleção e brilharia ainda mais forte. Fiquei chateada, é uma menina muito atenciosa e querida por todas nós."

Trajetória

Luana começou a jogar futebol com sete anos de idade e é apaixonada pelo esporte desde que se entende por gente. A jovem diz que sempre se sentiu com “sorte” por ter podido contar com o apoio da família, principalmente do pai, que sempre a levava para treinos e campeonatos.

“Ele dizia ‘nossa, essa menina só quer saber de bola’, mas não tinha escolinha nem time de meninas naquela época, então comecei a jogar em um time de futsal de meninos em São Bernardo, cidade onde nasci”, relembra a atleta. “Nunca tive um time de meninas até fazer 14 anos, quando fui para a escolinha do São Bernardo. Fiquei um ano e fui chamada para a equipe principal.”

Em 2009, Luana trocou o time de sua cidade pelo Corinthians, época em que foi convocada para a Copa do Mundo Sub-17, em 2010. No ano seguinte, passou pelo São Caetano e depois foi para o Centro Olímpico, referência na formação de atletas do futebol feminino brasileiro. Em 2012, foi para a Copa Sub-20. “Foi muito bom, uma época de aprendizado muito grande".

Em 2013, Luana precisou ficar sete meses longe dos gramados. Ela rompeu o ligamento do joelho e ficou sete meses parada no Centro Olímpico. Voltou aos poucos, treinando com o time sub-17, até se recuperar totalmente. Ela seguiu no clube paulistano até 2015, quando surgiu um convite para defender o Avaldsnes, da Noruega.

“Foi ótimo, o sonho de todo mundo jogar na Europa, mas um grande desafio também. Eu não falava inglês e tive que ir com a cara e a coragem. Fora o frio e a diferença do treinamento, muito mais puxado”, disse Luana, que ao menos teve ao seu lado a companheira de seleção Letícia Santos, que saiu do São José rumo ao Avaldsnes na mesma época e hoje defende o Sand, da Alemanha.

No início do ano, Luana rumou para o KSPO, da Coreia — mesmo país onde joga a também selecionável Bia Zaneratto. “Eu estou gostando bastante, a liga é muito forte lá, realmente profissional. Só o que muda é o estilo de jogo. No futebol norueguês é mais força, velocidade, sem muita aproximação, um jogo mais direito, enquanto na Coreia o jogo é mais curto, com muito passe, posse de bola e bastante velocidade. Mais parecido com o estilo da seleção”, avaliou a jogadora.

Embora Vadão tenha convocado apenas quatro meio-campistas de ofício para a Copa, Luana não acredita que isso será um problema na França. “Jogamos em um esquema com as atacantes no papel de meias, abertas, centralizado mesmo. São duas vagas para quatro meninos, estão está certo. Estou tranquila, confiante e feliz”, completou a meia.

Mais no Yahoo Esportes

Leia também