Quem é Renyer e qual é a multa da nova joia do Santos?

Goal.com

O Santos é um dos grandes celeiros de jogadores do futebol brasileiro. E a lista, que conta com nomes como Pelé, Robinho, Neymar e Rodrygo, ganha agora mais um nome que tem tudo para se tornar mais uma estrela do esporte. 

Renyer é tido como uma das maiores promessas do Peixe desde que chegou à Vila Belmiro, em 2013, com apenas nove anos de idade. O assédio em torno do atacante sempre foi muito grande, tanto de clubes quanto de empresários, mas o Santos conseguiu segurar o jogador.

Então, em 2020 a jóia santista entrou em campo pela primeira vez pela equipe profissional, na vitória por 2 a 0 diante da Inter de Limeira, válida pelo Campeonato Paulista. Com isso, ele se tornou o quinto jogador mais jovem a vestir a camisa do Santos, superando nomes como Neymar, Rodrygo e Edu.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Após estrear com 16 anos, seis meses e 18 dias, ele ficou atrás apenas de Coutinho (líder da lista com 14 anos e 11 meses), Pelé (15 anos e 10 meses), Gabriel (16 anos e quatro meses) e Sandry (16 anos e cinco meses).

“Fico feliz demais por ter estreado já alçando essa marca, ficando do lado desses jogadores gigantes. Porém, ainda é só começo da minha história. Vou trabalhar bastante para buscar objetivos grandes aqui no clube e ajudar meus companheiros na busca de títulos”, afirmou o camisa 43 após seu primeiro jogo pelo Peixe.

Então, depois de entrar em campo e ser elogiado pelo treinador Jesualdo Ferreira, o jovem naturalmente esperava receber novas chances para buscar um lugar na equipe, mas um imprevisto adiou seus planos.

Lesão no joelho e fim das conversas com clubes europeus

Pouco tempo após estrear pelo Santos, o jovem foi convocado para defender a seleção brasileira sub-17 e, durante um treino, acabou sofrendo uma lesão no ligamento cruzado do joelho direito e teve que ser operado.

Além de dar fim a sua sequência no Santos, o próprio jogador revelou que a contusão interrompeu conversas com clubes europeus.

"Tinha essa possibilidade sim. Os caras estavam conversando com os negociantes, só que infelizmente aconteceu essa tragédia e teve que dar uma pausa", contou o atacante à TV Gazeta.

Renyer ainda terá muito tempo para seguir rumo à Europa, mas se algum clube quiser tirar a jóia da Vila Belmiro, terá que desembolsar uma bela quantia.

Multa milionária

Já prevendo o enorme assédio, o Santos assinou, ainda em 2019, uma renovação contratual com o jogador, estipulando multa rescisória de 100 milhões de euros (cerca de R$ 550 milhões) - o dobro da multa de Rodrygo, maior venda da história santista, negociado com o Real Madrid por 45 milhões de euros. 

Mesmo com a pouca idade e a multa milionária, não foi fácil para o Peixe assinar a renovação com Renyer. Mas após cinco meses de negociações e disputas entre empresários, o acordo finalmente saiu. 

Na véspera da renovação, inclusive, a mãe do jogador, Leuzinete de Oliveira Damasceno, afirmou que o jovem não trabalharia mais com nenhum agente ou assessor, tamanha era a disputa em torno de seu filho.

Empresários e contratos desde os sete anos

Renyer chamou a atenção de Robert "Bob" Zanicky, empresário americano, logo aos sete anos de idade. O primeiro acordo feito entre as partes, em 2010, previa apenas o pagamento de despesas médicas e de alimentação.

Conforme o tempo foi passando, os contrato com o empresário também foram engordando. Em 2013, os acordos previam pagamentos mensais para a família do jogador em troca de 25% de seus direitos econômicos e de 17,5% de tudo que recebesse em sua carreira. Em 2018, mais um contrato, dessa vez referente a direitos de imagem, com validade por 15 anos. 

É verdade que contratos assinados entre jogadores menores de 18 anos e agentes não têm validade no Brasil, de acordo com a Lei Pelé, que regula o futebol nacional. Porém, os acordos assinados pela família de Renyer previam a renúncia de qualquer direito conferido a eles pela Fifa ou pela legislação brasileira. 

Mesmo com o impasse, Zanicky foi excluído das negociações sobre o futuro do jovem, que assinou, em 2019, com o empresário Luiz Taveira, que também acabou dispensado após impasses na negociação com o Santos. O imbróglio pode ter novos desdobramentos no futuro.

Leia também