Quarto lugar basta a Serra para levar bicampeonato da Stock Car. Confira a matemática do título

FERNANDO SILVA
Grande Prêmio

A luta pelo título entre os dois últimos campeões da Stock Car vai ter fim neste domingo (9), com a disputa da etapa derradeira da temporada 2018. Daniel Serra chega a Interlagos com uma vantagem ligeiramente confortável, de 25 pontos para Felipe Fraga. Em jogo, vão estar 60 pontos em caso de vitória. Mas Serra sequer precisa subir ao topo do pódio para comemorar o bicampeonato da principal categoria do automobilismo brasileiro.

Dentre as combinações possíveis para a conquista do título, independentemente da colocação de Fraga, basta a Serra um quarto lugar para erguer novamente a taça de campeão da Stock Car. O piloto da Cimed precisa vencer a corrida e ainda torcer para que seu adversário termine de quinto lugar para trás.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Caso Fraga cruze a linha de chegada em segundo, o dono do carro #29 da RC Eurofarma precisa apenas de um sexto lugar para ser bicampeão. Se Felipe terminar em terceiro, basta a Serrinha um oitavo posto em Interlagos para comemorar. A combinação de resultados vai ficando mais improvável quando se vê que Daniel precisaria somente de um décimo lugar se Fraga terminar em quarto.

Daniel Serra e Felipe Fraga decidem o título neste domingo (Foto: Duda Bairros/Stock Car/Vipcomm)

O cenário fica ainda mais confortável para Serra se Fraga terminar em quinto. Aí, basta ao atual campeão a 11ª posição. Se o piloto da Cimed for o sexto na corrida final, um 13º serve para Serrinha confirmar o bicampeonato. E caso Fraga chegue na sétima posição, Daniel garante o título apenas com um 15º lugar. 

E se Fraga terminar em oitavo em Interlagos, Serra sequer precisaria terminar a corrida para festejar seu segundo título na Stock Car.

Os dois pilotos têm um histórico de respeito em Interlagos. Considerando a Corrida de Duplas, realizada em março, Serrinha foi melhor: contou com a ajuda do parceiro João Paulo de Oliveira para conquistar a pole-position e vencer uma corrida marcada pela chuva. Fraga, que dividiu o carro #88 da Cimed com Nicky Catsburg, largou em quarto, mas acabou envolvido em um acidente com o carro de Lucas Di Grassi nos primeiros metros e abandonou a prova.

No ano passado, quando Interlagos recebeu apenas uma corrida, justamente a grande final, em dezembro, Serra teve sorte melhor. O piloto, que lutava com Thiago Camilo pelo título, largou em segundo e, assim como neste ano, sequer precisou vencer para confirmar a conquista. Daniel terminou em terceiro, atrás de Ricardo Maurício e Max Wilson, fechando um top-3 histórico da RC Eurofarma. Fraga largou em 16º, ganhou posições importantes e finalizou em oitavo lugar.


 

 

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A distância diminuiu, mas ainda é preciso mais para @FelipeFraga88 conseguir o bicampeonato da #StockCar. 🏁

Uma publicação compartilhada por Stock Car (@stock_car) em

14 de Nov, 2018 às 2:01 PST

Analisando como foi a temporada dos dois pilotos e considerando apenas as corridas 1 — disputadas sem a inversão do grid, como ocorre nas corridas 2 das rodadas duplas —, apenas uma vez uma combinação que daria o título a Fraga aconteceu: foi quando o piloto terminou em segundo lugar em Cascavel. Serra, que teve de lidar com um forte acidente em um dos treinos livres, sofreu com um pneu furado e abandonou, numa jornada bastante atípica com seu único fim de semana zerado no campeonato.


O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa decisiva da temporada 2018 da Stock Car em Interlagos com Felipe Noronha, Fernando Silva e Rodrigo Berton.


Leia também