Quarterback Romário Reis celebra título e MVP do Brasil Bowl

Foto: (Richard Ferrari/T-Rex) - Romário Reis teve excelente atuação na final do Brasil Bowl


O quarterback Romário Reis foi um dos grandes destaques do XI Brasil Bowl vencido pelo T-Rex, no último sábado (19/11), após o time catarinense superar o Galo FA por 30 a 20, no Complexo Esportivo Timbó, em Santa Catarina. Além de levantar a Onça, nome do Troféu da Liga Brasileira de Futebol Americano (Liga BFA), o QB foi eleito o MVP da decisão.

Com uma partida que beirou a perfeição, Romário Reis teve 166 jardas passadas (média de 13,8 por jogada ofensiva), três passes para touchdowns, nenhuma interceptação e rating de 149,3 - bem próximo do máximo que um jogador da posição pode ter em uma partida. Apesar do grande jogo, o quarterback não esperava receber o prêmio de MVP e destacou que seu foco estava completamente no título da Liga BFA.

“Em nenhum momento pensei nisso (ser MVP), seja antes ou durante a partida. A única coisa que eu tinha era o desejo de ganhar. Ter sido premiado o MVP me deixou muito orgulho da caminhado que foi chegar até a final”, destacou em entrevista à Valinor Conteúdo.

Se nesta temporada, Romário Reis levantou o troféu, em 2019, o quarterback ficou com o vice-campeonato. Ele ressalta o que mudou no T-Rex nas duas ocasiões e também fala do impacto de ter o irmão jogando ao seu lado – o wide receiver Marlos Reis.

“Ser campeão é uma sensação muito incrível e inexplicável. Tivemos que aprender a lidar e respeitar uns aos outros e entender o significado de irmandade. Em 2019, tivemos um time rachado e neste ano foi o contrário. Nossa equipe foi sólida e se transformou em uma família. Além disso, é um amor muito grande ter meu irmão jogando comigo”, explicou.

Contra o Galo FA, Romário Reis comenta que o time estudou bastante o adversário e a estratégia de jogo era puni-los em todas às vezes em que o time mineiro errava.

“A chave da nossa vitória, com certeza, foi a preparação física e seguir o plano de jogo. Aproveitamos as chances que eles nos proporcionaram e assim conseguimos aproveitar todas as oportunidades”, analisou.

Lance decisivo no final do 1º tempo
Um lance no fim do primeiro tempo foi crucial para partida. O T-Rex teve um TD anulado por falta do ataque e ainda perdeu dez jardas em uma terceira descida – que deixou Romário Reis em situação complicada. Mas o quarterback chamou a sua jogada de segurança e apostou na conexão com o irmão, que conseguiu fazer a recepção na end zone.

“Eu lembro de cada momento do jogo e esse foi incrível. O Marlos veio e me falou que o marcador dele iria perder na fade para ele e que era só lançar, pois o defensor estava marcando-o por dentro do campo. Naquele momento, olhei para o coach e pedi para fazer a jogada. Coloquei um motion (movimento) e chamei um conceito com fade (o recebedor busca o fim do campo em uma linha direta até a endzone) para conseguir fazer a leitura caso algo desse errado. Isso eu nunca vou esquecer: o Marlos puxou responsabilidade e fez uns dos melhores catches (recepções) dele na temporada”, recordou.

Questionado sobre a duração das comemorações do título, Romário Reis comentou que elas só duraram o fim de semana. A partir de segunda-feira, o T-Rex e os jogadores já estarão focados nos projetos.

“A festa ficou no final de semana e segunda-feira já focamos nos projetos. Atualmente, trabalho com categorias de base do futebol americano e tenho que acompanhar esses jovens nas competições sub17 e sub20, pois eles são o futuro do nosso esporte”, revelou o quarterback.