Quarta edição de corrida de rua sem linha de chegada retorna a Brasília

O evento que ocorre neste domingo contará com a presença dos medalhistas olímpicos Alison e Bruno Schmidt, o surfista Pedro Scooby e o piloto Felipe Fraga

Depois de reunir quatro mil participantes em Brasília, no ano passado, a Wings For Life World Run, corrida que acontece simultaneamente em 24 cidades do mundo, volta ao Brasil pelo quarto ano consecutivo, após passar por Florianópolis (SC), em 2014, e pela capital federal nos dois anos seguintes. Às 8h deste domingo, os participantes largarão do Museu Nacional, ao mesmo tempo que outros países, independentemente do fuso horário. A prova é conhecida por não ter uma linha de chegada fixa e por arrecadar fundos para pesquisas da cura da lesão na medula espinhal.

Com um conceito inovador, a corrida dá a oportunidade para que qualquer pessoa participe do evento, independentemente do nível de treinamento. Ao contrário dos eventos tradicionais, em que os participantes têm que cruzar a linha de chegada, na Wings For Life World Run é a linha de chegada que persegue os atletas. O chamado “Catcher Car” (carro perseguidor), que será dirigido, no Brasil, por Cacá Bueno, larga 30 minutos depois dos competidores e vai aumentando a velocidade gradativamente, alcançando um por um. O último a ser ultrapassado pelo veículo é o campeão do evento.

Até serem alcançados, os participantes passarão por pontos icônicos de Brasília como o Museu Nacional, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Aparecida, Itamaraty, Teatro Nacional, entre outras paradas conhecidas. Entre os competidores, estarão nomes como a ultramaratonista Fernanda Maciel, o surfista Pedro Scooby, o triatleta Igor Amorelli, o piloto da Stock Car Felipe Fraga e os medalhistas olímpicos do vôlei de praia Bruno Schmidt e Alison Cerutti.

- Ainda não tenho ideia de quanto vou correr, mas vou dar meu sangue. É a primeira vez que participo da prova, pois nos outros anos minha agenda não me deixou comparecer. Então, estou super animado e muito motivado. Quero que chegue logo! - conta Alison.

A corrida foi criada para apoiar a fundação sem fins lucrativos Wings For Life, que financia projetos de pesquisa sobre lesões na medula espinhal em todo o mundo. O valor arrecadado com as inscrições do evento é completamente revertido a essas pesquisas e, desde 2014, quando a prova começou, já foram arrecadados mais de €7 milhões.

- Eu gosto de correr a Wings For Life World Run, pois me sinto parte de um movimento que luta por coisas incríveis e em prol de uma boa causa. Imagina alguém andando novamente! Qualquer movimento importante assim deve ser apoiado. Como sempre me exercito para manter meu preparo físico, acredito que consiga correr uns 15km no domingo - conta Pedro Scooby, surfista de ondas gigantes.

Em 2016, mais de 130 mil pessoas de 193 nacionalidades se inscreveram para o evento, participando do evento em 33 países. No Brasil, quatro mil pessoas se juntaram à causa. Fugindo do carro perseguidor por mais de cinco horas, o campeão global de 2016 foi o italiano Giorgio Calcaterra, que bateu o recorde do evento e correu 88.44 km. Por aqui, os vencedores foram o britânico Thomas Payn, na categoria masculina, e Letícia Saltori, entre as mulheres.

Em 2017, a prova acontecerá em cidades como Milão (ITA), Santiago (CHI), Breda (HOL), Valencia (ESP), Flórida (EUA), entre outras. As inscrições online podem ser feitas pelo site http://www.wingsforlifeworldrun.com/br/pt-br/ até esta quinta-feira. Depois dessa data, as inscrições poderão ser feitas apenas no Brasília Shopping. Aqueles que não puderem correr em um dos locais oficiais do evento, também poderão fazer parte da causa por meio do aplicativo da Wings For Life World Run, disponível para Android e iOS.













E MAIS: