Qual foi a vacina desenvolvida mais rápido na história?

Redação Notícias
·1 minuto de leitura

A pergunta mais feita em 2020 foi: “quando chega a vacina contra a Covid?”. E ela ficou pronta após apenas 10 meses de pesquisas e testes.

Para a humanidade que tem dificuldade em esperar 30 minutos por uma pizza, esse tempo pode parecer uma eternidade. Mas essa é a maior conquista na história da imunização.

Até então, a vacina recordista era a da caxumba, desenvolvida em quatro anos pelo microbiologista americano Maurice Hilleman.

Tudo começou em 1963, quando sua filha de 5 anos começou a ter sintomas da doença. Ele então coletou uma amostra da garganta da menina e começou a trabalhar na vacina feita do vírus atenuado vivo.

Hilleman não sabia qual cepa do vírus ela havia contraído. Poderia ser inofensiva, como também afetar o cérebro, causar meningite e perda de audição. Por sorte, era a primeira opção, o que contribuiu para que a vacina fosse totalmente segura.

Na época, os ensaios clínicos tinham menos regulamentação e eram menores e mais rápidos. Dessa forma, em dezembro de 1967 o imunizante já havia sido licenciado.

A vacina de Hilleman é usada até hoje. O médico, inclusive, a combinou com as de sarampo e rubéola - também criadas por ele - para fabricar a famosa Tríplice Viral.

Mas as coisas não costumam ser rápidas assim. A vacina contra a meningite, por exemplo, demorou 94 anos para ser desenvolvida. Então, agradeça aos cientistas que talvez expulsem a Covid de nossas vidas em menos de dois.