Qatari conta que ficou 'encantado' com torcida no Maracanã e como iniciou a paixão pelo Flamengo

Lazlo Dalfovo
LANCE!


O Flamengo gaba-se por ter uma torcida nacional, haja vista a presença maciça e sem deixar cadeiras vazias em todos os estádios do Campeonato Brasileiro. E, na edição de 2015, o Maracanã recebeu a presença de um torcedor do outro lado do mundo: o qatari Ali Jassim, dourando em filosofia, de 23 anos, que ficou "encantado" com a vibração das arquibancadas em um clássico contra o Vasco.

O LANCE! encontrou Ali em Souq Waqif, uma espécie de mercadão popular em Doha, capital do Qatar, que tem de animais silvestres a restaurantes típicos de todos lugares do globo.

O jovem passava com a câmera de seu celular ligada, registrando a festa que torcedores do Flamengo faziam na véspera da estreia do Mundial de Clubes. Parecia admirado e, ao ser abordado pela nossa reportagem, fez ressurgir memórias de quatro anos atrás - na ocasião, o Fla acabou perdeu por 2 a 1, mas ele pôde ver um gol de Emerson Sheik (entenda melhor abaixo).

- Estive nos Estados Unidos e optei por ir para o Brasil, por cinco dias, e fazer uma grande saga no Rio de Janeiro. Foi uma viagem brilhante e inesquecível, visitei muitos lugares, como a praia de Copacabana e o Cristo Redentor.

- Além disso, a experiência mais marcante foi assistir a uma partida do meu time favorito no Brasil, o Flamengo, e ainda foi contra o Vasco da Gama, que dizem ser o mair rival, correto? Foi uma das melhores atmosferas de jogo que já estive na minha vida! O estádio era muito organizado e as instalações eram muito boas. A festa da torcida foi incrível, pois eles estavam muito animados e não paravam de apoiar o time. Fiquei encantado e apaixonado. Voltarei.







Torcedor do Qatar flamenguista
Torcedor do Qatar flamenguista
Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ali foi com amigos e levou uma faixa do Qatar (Foto: Arquivo pessoal)

O INÍCIO DA PAIXÃO

E não foi por acaso que o qatari chegou ao Rio já comprando uma camisa do Flamengo. O jovem de Doha afirmou que conheceu o Rubro-Negro quando Emerson Sheik desembarcou na Gávea, em 2009. Explica-se: o ex-atacante é seu ídolo pela passagem marcante no Al Saad, o clube de coração de Ali.

- Sou muito fã do Emerson Sheik. É o meu ídolo para sempre. E agora sou um torcedor do Flamengo também - contou, sobre Sheik, que chegou a marcar 27 gols em 38 jogos pelo Al Saad, em 2006/07.

Ali Jassim ainda planeja ir à decisão do Mundial, neste sábado, já que o Flamengo, em tempo, está a um passo de conquistar o mundo pela segunda vez. Após bater o Al Hilal-SAU na semifinal, com direito à torcida local de Ali, o time de Jorge Jesus agora aguarda o vencedor do duelo entre Liverpool e Monterrey, a ser realizado nesta quarta, no Estádio Internacional Khalifa.





Leia também