Punição a clubes de futebol por confusões entre torcidas não é algo eficaz

O Flamengo foi punido em 40 mil reais por conta das confusões geradas em torno e dentro do Maracanã no primeiro jogo da final da Copa do Brasil. Em casos mais severos, o clube carioca poderia até perder mando de campo como já aconteceu em outras oportunidades.

Três auditores votaram a favor da multa e enquanto apenas um votou contra alegando que o clube não teria responsabilidade nos eventos de grande porte. O advogado do Flamengo, Michel Assef Filho garantiu que vai recorrer e levantou uma questão interessante. Para ele, esse tipo de punição não é eficaz.

"Eu vou pedir absolvição, até na esteira do voto do doutor Gustavo Pinheiro. Esse tema tem que ser levado para o Pleno para se discutir a eficácia dessas penalidades que insistentemente são aplicadas contra os clubes. No meu entendimento, não tem eficácia alguma. O clube tomou todas as previdências que lhe cabia para prevenir e reprimir as desordens no estádio, mas precisa da ajuda do estado. Ainda mais considerando que a decisão de banir uma torcida organizada partiu do judiciário por ação proposta pelo Ministério Público".

Torcida Flamengo x Vasco São Januário Brasileirão 08 07 17

(Torcida do Flamengo acompanhando jogo na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro. Foto: Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação)

Não é de hoje que os clubes levam esse tipo de punição quando acontecem confusões dentro e fora dos estádios, a repetição desses casos só comprova a tese do advogado Rubro-Negro de que esse tipo de punição não é eficaz. O clube não tem controle sobre o que pessoas fazem fora do estádio nem mesmo dentro, afinal, a segurança é garantida, em maior parte, pela polícia militar.

Todo cidadão tem digital e soluções como cadastrar as frequentadores já foram debatidas inúmeras vezes porém ninguém faz realmente algo de fato para solucionar o problema que se repete e se repetirá sempre. 

Enquanto isso, os clubes recebem punições sem ter grandes responsabilidades sobre o ocorrido enquanto quem realmente deveria trabalhar evitar acaba saindo ileso tanto aos olhos da justiça quanto aos olhos do público em geral.