Psicologia esportiva tem papel importante na minimização da pressão sofrida por atletas

Atletas de alto rendimento precisam estar preparados para pressão inerente à profissão (Foto: Pexels)


A psicologia do esporte é uma especialidade presente nas comissões técnicas das principais modalidades esportivas. A área médica visa pela saúde mental e a otimização do desempenho de atletas e equipes, por meio da compreensão e acompanhamento de fatores psicológicos que possam ser influenciadores na performance esportiva.

Segundo a psicóloga Brisa Dantas, especializada em Reprodução Mental e Inteligência Emocional, para uma melhor compreensão sobre o tema, é importante destacar que a psicologia esportiva e a psicologia clínica são especialidades distintas.

“Na área esportiva, o profissional busca trabalhar as habilidades esportivas de um atleta ou de um grupo de atletas, visando seu bom desempenho na atividade física. Embora não seja minha área de atuação, sei sobre a importância da psicologia para a mente humana. Estamos em tempos de Copa do Mundo, por exemplo, onde os atletas ficam dias afastados e concentrados e isso mexe com o psicológico de muitos atletas”, explicou Brisa Dantas.

O profissional que atua nessa especialidade da psicologia pode trabalhar com a avaliação de diversos tópicos do atleta, como a motivação, o estresse, a cognição, a ansiedade, a liderança, entre outros pontos importantes. “A meta dos especialistas, é transformar o ambiente com equilíbrio para que o grupo desenvolva um melhor potencial, mesmo diante de possíveis pressões externas”, explicou a psicóloga.

“Diversos estudos pontuam que ao se desenvolver melhor a inteligência emocional, o atleta consegue manter o foco nas metas. Aliás, algo que serve para todos os indivíduos, sendo ou não atletas”, pontuou. “Mas no caso dos esportistas, vejo que o trabalho se faz para traçar o autoconhecimento, como prevenção a situações que possam levar ao descontrole emocional diante de condições de forte pressão”, completou.

“O suporte emocional é importante na vida de qualquer indivíduo. Não seria diferente para um atleta. A sabedoria em lidar com a pressão, cobranças, derrotas e vitórias não é fácil e pode sim, prejudicar o desempenho no campo esportivo e na vida do ser humano”, finalizou Brisa Dantas.

Em tempos de Copa do Mundo, vale lembrar que o psicólogo do esporte pode auxiliar as seleções tanto via treinamentos de diversas habilidades, quanto para contribuir com o autogerenciamento do jogador, colocando-o em melhores condições para saudáveis relações interpessoais de um time.