PSG quer pôr fim ao pesadelo na final da Copa da Liga contra Monaco

Por Adrien DE CALAN
O técnico do PSG, Unai Emery, participa de uma entrevista coletiva em Lyon

Monaco e Paris Saint-Germain vão disputar uma final de prestígio da Copa da Liga, no sábado, e o atual tri-campeão PSG se sente obrigado a vencer para não piorar a crise que atravessa o clube, depois do naufrágio contra o Barcelona (6-1).

"É um desafio para eles reconstruírem sua imagem e isso passa por uma vitória. Se o PSG não quiser enfrentar uma grande crise, precisa ser campeão", resumiu Jocelyn Angloma, lateral direito do clube da capital no início dos anos noventa.

Esta Copa da Liga, tradicionalmente considerada uma competição menos importante, se transformou em objetivo crucial para os parisienses e para o treinador espanhol Unai Emery.

Especialmente porque antes da chegada do técnico, o PSG venceu o torneio três vezes seguidas, sob o comando de Laurent Blanc. A derrota seria outro revés para Emery, que perdeu forças depois da impressionante eliminação nas oitavas de final da Liga dos Campeões: derrota por 6 a 1 na partida de volta, depois de golear o primeiro jogo por 4 a 0. Inédito.

- 'Primordial' -

Além disso, a final é contra o Monaco, principal rival ao título da Ligue 1 que lidera o campeonato com três pontos de vantagem.

Para o Monaco, a Copa da Liga é quase um prêmio extra. O objetivo da direção é claro: conquistar o Campeonato Francês. Até as quartas de final da Champions, contra o Borussia Dortmund, é vista como um brinde da temporada.

Mas o Monaco também quer vencer a final para levantar mais dúvidas sobre o rival PSG e voltar a levantar uma taça, o que não acontece desde 2003, quando o time foi campeão da única Copa da Liga em sua história.

A grande pergunta que rodeia o ataque é a presença ou não do artilheiro colombiano Radamen Falcao, que não entra em campo desde o dia 11 de março. O camisa 9 voltou aos treinos nesta semana e foi relacionado para o jogo, junto com Djibril Sidibé, que também é dúvida. O brasileiro Fabinho não vai jogar para cumprir suspensão.

No PSG, o zagueiro brasileiro Marquinhos sentiu a perna direita na vitória do Brasil contra o Paraguai e vai ser substituído por Presnel Kimpembe.

Outra atração da final vai ser o pequeno prodígio do Monaco, Kylian Mbappé, que acabou de estrear como titular da seleção francesa no amistoso contra a Espanha.

O jovem de 18 anos acha que o PSG é favorito: "são os mesmo jogadores que venceram a Ligue 1 nos últimos anos, os mesmo grandes jogadores que ganharam tudo que disputaram. Agora acho que precisamos respeitar esse time. O que aconteceu em Barcelona não vai voltar a ocorrer nos próximos 90 anos", falou Mbappé.