Dzeko decide, Roma bate Shakhtar e volta às quartas da Champions após 10 anos

EFE

Roma, 13 mar (EFE).- A Roma venceu o Shakhtar Donetsk nesta terça-feira por 1 a 0, no Estádio Olímpico, e se classificou para as quartas de final da Liga dos Campeões pela primeira vez em uma década, desta vez graças ao chamado "gol qualificado", já que marcou uma vez na partida disputada na Ucrânia, em que foi derrotada por 2 a 1.

Se, fora de casa, a equipe da capital italiana saiu na frente, mas permitiu a virada, hoje balançou as redes aos 7 minutos do segundo tempo, com o atacante bósnio Edin Dzeko, e não permitiu que os visitantes reagissem, garantindo assim um lugar entre os oito melhores do continente nesta temporada.

Na reta final da etapa complementar, o jogo chegou a esquentar, primeiro com a expulsão do zagueiro ucraniano Ivan Ordets, que deixou o Shakhtar com um homem a menos. Depois, houve bate-boca e entreveros entre jogadores, empurrão em gandula e muita tensão até o apito final.

Com a vitória de hoje, a Roma volta às quartas de final da 'Champions' após dez anos. Na temporada 2007/2008, a equipe passou pelas oitavas ao surpreender o Real Madrid, e caiu na fase seguinte diante do Manchester United, que se sagraria campeão.

Nas escalações para a partida no Olímpico, três convocados por Tite para defender a seleção brasileira nos amistosos contra Rússia e Alemanha, começaram jogando: o goleiro Alisson pela Roma, e o volante Fred e o atacante Taison pelo Shakhtar.

Além deles, outros xxx brasileiros estiveram entre os relacionados. A Roma teve o lateral-direito Bruno Peres, o zagueiro Juan Jesus e o meia Gérson no banco, sendo que só o terceiro entrou em campo. No Shakhtar, o lateral-esquerdo Ismaily, o meia naturalizado ucraniano Marlos e o meia-atacante Bernard foram titulares, e o meia Alan Patrick e o atacante Dentinho entraram na partida no segundo tempo.

Em desvantagem no placar agregado, os donos da casa tentaram pressionar no início. Logo no primeiro minuto, Nainggolan recebeu na entrada da área e ajeitou para Dzeko, que bateu colocado, parando em defesa segura e tranquila de Pyatov.

Aos poucos, a equipe ucraniana se organizou e começou a dominar as ações. Aos 10 minutos, Bernard cobrou falta da esquerda, Florenzi tentou cortar de cabeça e quase acabou acertando as próprias redes, em susto para a torcida anfitriã, que fez muito barulho durante os 90 minutos.

No decorrer da etapa inicial, os dois times apresentaram muito volume de jogo, tentaram sempre chegar ao ataque com agressividade, mas, as oportunidades de gol criadas foram poucas. Aos 32, Ferreyra se aproveitou de vacilo de Fazio, disparou na área, mas, na hora de finalizar, acabou batendo muito mal.

Depois do intervalo, a Roma tentou repetir a estratégia do primeiro tempo, pressionando desde o minuto inicial. Aos 7, em bela trama ofensiva, Strootman deu passe na medida e achou Dzeko, que disparou e bateu cruzado para vencer Pyatov e abrir o placar.

Três minutos depois, a equipe italiana ficou perto de ampliar, em nova ação com a bola indo de pé em pé, até chegar em Perotti, no lado esquerdo da área, nas costas da defesa. O meia argentino concluiu de primeira, mas, a bola saiu sem força, sendo defendida pelo goleiro ucraniano.

O domínio seguiu total e absoluto por parte dos donos da casa. Aos 17 minutos, o Dzeko recebeu em profundidade, brigou com a marcação e encheu o pé, batendo por cima do gol de Pyatov.

A situação que já era ruim para o Shakhtar ficou pior aos 34, quando Ordets fez falta em Dzeko, que partia livre em direção ao gol, após passe errado de Fred, e acabou expulso pelo árbitro espanhol Alberto Undiano Mallenco. O zagueiro ucraniano, sequer, havia recebido cartão amarelo.

Logo depois, os jogadores do time ucraniano ficaram furiosos com a demora na reposição de bola por um gandula, que acabou sendo empurrado e jogado sobre placa de publicidade. Os componentes da Roma tomaram as dores do jovem e começou empurra-empurra entre grande parte dos 21 em campo.

Aos 44, o Shakhtar teve boa oportunidade quando De Rossi fez falta em Alan Patrick, que havia substituído Stepanenko no decorrer da etapa final, na entrada da área, para desespero da torcida anfitriã. O ex-Santos, Internacional, Palmeiras e Flamengo, tomou distância, encheu o pé, mas só acertou a barreira.


Ficha técnica:.

Roma: Alisson; Florenzi, Manolas, Fazio e Kolarov; De Rossi, Nainggolan e Strootman; Ünder (Gérson), Perotti e Dzeko (El Shaarawy). Técnico: Eusebio di Francesco.

Shakhtar Donetsk: Pyatov; Butko, Ordets, Rakitskiy e Ismaily; Fred, Stepanenko (Alan Patrick), Marlos (Dentinho), Taison e Bernard; Ferreyra. Técnico: Paulo Fonseca.

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (Espanha), auxiliado pelos compatriotas Roberto Alonso e Juan Yuste.

Gol: Dzeko (Roma).

Cartões amarelos: Florenzi e Manolas (Roma); Stepanenko, Fred e Ferreyra (Shakhtar Donetsk).

Cartão vermelho: Ordets (Shakhtar Donetsk).

Estádio Olímpico, em Roma (Itália). EFE


Leia também