Prova de triatlo em Tóquio-2020 é marcada por largada falsa bizarra

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma largada falsa bizarra marcou a prova masculina do triatlo nas Olimpíadas de Tóquio, nesta segunda-feira (26).

Quando a campainha de início soou, quase metade dos 56 atletas não conseguiu saltar à água porque teve o trajeto bloqueado por uma uma embarcação que carregava equipamentos de mídia. Os demais competidores, entretanto, não perceberam o problema e deram início à prova normalmente.

Os atletas que nadavam freneticamente tiveram de ser avisados por organizadores da prova que estavam em motos aquáticas. Ele voltaram à largada lentamente após percorrerem cerca de 200 metros.

Depois do início inválido, a etapa da natação de 1.500 metros do triatlo começou com segurança cerca de 10 minutos depois.

"Eu vi o barco e achei muito estranho", disse o norueguês Kristian Blummenfelt, que conquistou a medalha de ouro e antes saltou à água na largada falsa. "Tentei ver isso como algo positivo, um aquecimento extra."

Já Hayden Wilde, da Nova Zelândia, que conquistou a medalha de bronze, disse que não percebeu a largada falsa porque estava longe dos competidores que foram atrapalhados pela embarcação. "Eu pensei: 'tive um começo cego'. Me senti abatido", disse.

Além de Blummenfelt e Wilde, o britânico Alex Yee completou o pódio em segundo lugar.

Em sua estreia nas Olimpíadas, o brasileiro Manoel Messias, 24, ficou na 28º lugar, passando na linha de chegada 3min07s após o norueguês Kristian Blummenfelt.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos