Protestos 'cultos' voltam a aparecer no Cruzeiro. Depois de sevandijas, Raposa é atacada com 'quilingue'

Valinor Conteúdo
LANCE!


O Cruzeiro foi alvo de mais um protesto de torcedores. Agora, na sede administrativa do clube. Outra vez, o uso de um termo pouco usual no dia a dia chamou à atenção.

Depois de ter a palavra "sevandijas" que, segundo o dicionário, significa vermes e parasitas, pichada na Toca da Raposa II, os protestantes foram buscar outra palavra “difícil” para atacar o clube.


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A pichação feita na sede administrativa do clube, no bairro Barro Preto, usou termo "Diretoria quilingue". Quilingue significa "cultura da corrupção, da desonestidade". O Cruzeiro não quis falar sobre mais esse protesto.

A segunda pichação “culta” por parte de torcedores repercutiu muito nas redes sociais.


A zoeira foi intensa sobre o novo protesto contra a diretoria celeste
A zoeira foi intensa sobre o novo protesto contra a diretoria celeste

A zoeira foi intensa sobre o novo protesto contra a diretoria celeste-(Reprodução)


Leia também