Rampa do Planalto é alvo de protesto com cruzes e tinta vermelha

Yahoo Notícias
Rampa do Planalto é alvo de protesto com tinta vermelha - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Rampa do Planalto é alvo de protesto com tinta vermelha - Foto: Reprodução/Redes Sociais

A rampa do Palácio do Planalto foi alvo de um protesto na manhã desta segunda-feira (08). O ato jogou cruzes e tinta vermelha na entrada do local, em uma simbolização que parece alertar para mortes e sangue. O Brasil iniciou a semana com mais de 36 mil mortos, vítimas da pandemia do novo coronavírus.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em imagens publicadas pela Rádio Bandnews de Brasília, um homem coberto de tinta vermelha é levado detido por agentes da segurança do Planalto. Questionado sobre a autoria do protesto, ele não responde a pergunta.

Enquanto é conduzido pelos agentes, o homem faz uma defesa da juventude brasileira que, segundo ele, é vítima de genocídio.

Leia também

O Palácio do Planalto é a sede do governo federal, onde o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exerce suas funções. O edifício é tombado como patrimônio da humanidade pela Unesco.

Domingo de protestos

Manifestantes se reuniram em várias regiões do Brasil neste domingo (7) para protestar contra o racismo e o governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Alguns grupos também se reuniram para defender o presidente. Alguns atos começaram por volta das 11h, outros tiveram início às 14h. Foram registradas manifestações em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Minas Gerais e Brasília.

No Distrito Federal, houve atos contra e a favor do governo Bolsonaro. A manifestação contrária ao presidente contou com mais participantes. Ambos aconteceram de forma pacífica.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Uma das pautas principais dos manifestantes contra Bolsonaro em todo o Brasil é a condução errática da pandemia realizada pelo governo federal. Com mais de 36 mil mortos, o país é o terceiro com mais vítimas da Covid-19 em todo o planeta.

Nesta segunda-feira, o presidente usou uma rede social para se eximir da responsabilidade e acusar prefeitos e governadores como os principais culpados pelo cenário.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também