Protagonismo diferente em finais reforça ‘todos somos um’ de Abel Ferreira no Palmeiras

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·1 minuto de leitura


O trabalho de Abel Ferreira no Palmeiras é baseado no “todos somos um”, no qual o protagonismo da equipe é maior do que as individualidades e, quando o assunto é final, isso se faz presente no elenco. O Alviverde disputa a Supercopa do Brasil contra o Flamengo neste domingo (11), às 11h (horário de Brasília) no Mané Garrincha.

Em competições decisivas, somente atletas diferentes marcaram em finais. Ainda com Vanderlei Luxemburgo, Luiz Adriano marcou no 1 a 1 contra o Corinthians, na volta da final do Paulista. Nos pênaltis, Weverton e Patrick de Paula garantiram a conquista depois de 12 anos.

>> Sorteio dos grupos da Libertadores rende memes na web; Corinthians e Flu foram os principais alvos

Já com o comandante português, o Palmeiras teve um herói improvável no bicampeonato da Copa Libertadores. Breno Lopes entrou no segundo tempo e, nos acréscimos, garantiu a vitória no estádio do Maracanã. O atacante tinha recém-chegado ao clube após negociação com o Juventude.

Na Copa do Brasil, outros três atletas diferentes marcaram nos triunfos em Porto Alegre e Allianz Parque. Na Arena do Grêmio, Gustavo Gómez usou a cabeça para garantir a vantagem pelo placar mínimo. Na volta, as Crias da Academia ratificaram o quarto título da competição com os gols de Wesley e Gabriel Menino.

Na última quarta-feira (7), dois novos jogadores apareceram para garantir a vitória no jogo de ida da Recopa Sul-Americana contra o Defensa y Justicia, na Argentina: Rony e Gustavo Scarpa. O segundo confronto acontece também em Brasília, no próximo dia 14 (quarta-feira).

Com a mentalidade do “todos somos um”, o Palmeiras está na Capital Federal para buscar dois títulos inéditos e o caminho das decisões está aberto para novas histórias.