Proprietários do Manchester United consideram vender o clube

Os proprietários americanos do Manchester United anunciaram nesta terça-feira que estão abertos a vender o clube, que está longe do seu melhor momento esportivo e do brilho de outros tempos.

"O conselho de administração vai considerar todas as alternativas estratégicas, incluindo um novo investimento no clube, uma venda ou outras transações que envolvam a instituição", diz o comunicado do clube, propriedade da família Glazer desde 2005.

O anúncio acontece horas depois de os 'Red Devils' informarem a saída do atacante Cristiano Ronaldo "com efeito imediato", um ano e meio depois do retorno do astro português a Old Trafford.

O fracasso de Cristiano nesta segunda passagem pelo clube é um dos indícios da incapacidade do Manchester United de recuperar um lugar no topo do futebol britânico, ocupado hoje por equipes como Manchester City, Liverpool e Arsenal.

O último título do Campeonato Inglês do United foi em 2013, na última temporada de Alex Ferguson como treinador.

"O processo está definido", acrescenta o comunicado, "para melhorar o crescimento futuro do clube, com o objetivo final de levar este clube a capitalizar as oportunidades tanto dentro de campo como comercialmente".

"Vamos avaliar todas as opções para garantir que faremos o melhor para nossos torcedores e que o Manchester United maximize as oportunidades de crescimento ao alcance do clube agora e no futuro", escreveram Avram e Joel Glazer, os dois copresidentes do United, filhos do empresário Malcolm Glazer, falecido em 2014 e responsável pela compra do clube em 2005.

jdg/hpa/cpb/iga/cb