Promotoria espanhola retira acusação de Neymar por transferência para o Barcelona

Neymar antes do julgamento do caso em Barcelona, no dia 18 de outubro de 2022 (Foto: REUTERS/Nacho Doce)
Neymar antes do julgamento do caso em Barcelona, no dia 18 de outubro de 2022 (Foto: REUTERS/Nacho Doce)

Procuradores espanhóis retiraram nesta sexta-feira (28) as acusações de fraude e corrupção contra Neymar e demais réus por supostas irregularidades na transferência do Santos para o Barcelona em 2013.

Os procuradores pediam uma pena de dois anos de prisão e uma multa de 10 milhões de euros ao atleta, hoje no Paris Saint-Germain, da França.

A ação foi movida pela empresa DIS, que representava Neymar na época da transferência, alegando que o valor do passe do atleta foram diluídos em contratos fictícios, assim diminuindo o valor que a empresa deveria receber na negociação.

Leia também:

De acordo com o Fisco espanhol, não há provas ou indícios de fraude. No relatório final, um fiscal afirma que os métodos desrespeitam o código civil brasileiro e do regulamento da Fifa para transferências, mas não ferem o código penal espanhol. Com a decisão, a DIS ainda pode entrar na via civil para buscar uma indenização pelo caso.

Outros quatro acusados foram inocentados através da decisão: os pais de Neymar - Neymar da Silva Santos e Nadine Santos -, o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell e o ex-diretor do Santos Odilio Rodrigues.

Uma fonte próxima à família de Neymar disse à agência Reuters que seus representantes legais reivindicariam custas pelo que consideram imprudência, má fé e abuso de processo. Eles também se reservam o direito de reclamar por danos.

Divergências no valor da transferência

A transferência de Neymar do Santos ao Barcelona em 2013 ainda causa divergências nos valores, com quatro possíveis versões.

  • Santos: 34 milhões de euros, divididos em dinheiro, amistosos e prioridade em jogadores jovens;

  • Barcelona: 57 mihões de euros - 17 para o Santos e 40 para empresa de Neymar;

  • Investigação espanhola: 74 milhões de euros - 34 para o Santos e 40 para empresa de Neymar;

  • Jornal El Mundo: 95 milhões de euros - 34 para o Santos e 61 para Neymar e família (entre empresa, comissões ao pai de Neymar e bônus de assinatura de contrato.