Proibição de bebida alcóolica na final da Libertadores gera polêmica

·2 min de leitura
Jogadores do Palmeiras comemoram classificação para a final da Copa Libertadores, após partida com o Atlético-MG (AFP/WASHINGTON ALVES)

Um legislador uruguaio propôs nesta quarta-feira a suspensão da proibição da venda de bebida alcóolica no fim de semana de 27 e 28 de novembro por conta das eleições que ocorrem juntamente com a final da Copa Libertadores de 2021, diante dos pedidos de comerciantes e agentes do setor de turismo.

No domingo, 28 de novembro, serão realizadas no Uruguai as eleições obrigatórias para o Banco da Previdência Social (BPS), o instituto governamental de previdência social. Cerca de 1,8 milhão de uruguaios estão autorizados a votar nos representantes de trabalhadores, aposentados e empresas.

Como em qualquer eleição nacional, a proibição da venda de bebidas alcoólicas valerá a partir das 19h30 (hora local) do dia anterior, pouco depois do encerramento da partida final da Copa Libertadores entre Flamengo e Palmeiras, no estádio Centenário, em Montevidéu.

"Coincide com a eleição das BPS, o que é importante, mas limita claramente o turismo e o lazer de todos aqueles que vêm para acompanhar uma final de futebol", disse o senador Germán Coutinho nesta quarta-feira em comunicado à imprensa, após a apresentação do projeto de lei para suspender a proibição apenas desta vez.

“A proibição tem outro espírito. Foi pensada para as eleições nacionais, onde há muito mais paixão, mais competição e onde há um momento de paz e reflexão”, declarou o político, acrescentando que neste caso “coincide com um acontecimento que o Uruguai espera há muito tempo, que vai atrair a atenção da América e do mundo”.

O setor de turismo espera a chegada de milhares de turistas para a final da Libertadores, bem como para a partida decisiva da Sul-Americana, que também será disputada por duas equipes brasileiras, o Athletico Paranaense e o Red Bull Bragantino, no sábado anterior, 20 de novembro.

Os hotéis em Montevidéu, assim como em vários departamentos (províncias) próximos, estão lotados para os dois fins de semana, e os preços das acomodações privadas dispararam diante da chegada de um grande número de torcedores.

O presidente da entidade que reúne proprietários de bares e restaurantes do Uruguai (Cambadu), Daniel Fernández, disse ao jornal local El País no final de outubro que a Conmebol havia solicitado ao setor "a abundância de cerveja (...) bem 'gelada'".

A Justiça Eleitoral esclareceu que a norma que proíbe a venda de álcool durante as eleições não estabelece penalidades para o descumprimento.

gv/ma/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos