Prognósticos para o GP do Bahrein de Fórmula 1

Miguel Gonzalez
Após chegar em segundo na Austrália, Lewis Hamilton ganhou na China. Após duas provas, a Fórmula 1 parece ter se tornado mais equilibrada do que em anos anteriores. Ferrari e Mercedes, e seus pilotos, têm desempenhos muito semelhantes, acirrando a disputa e trazendo mais emoção para o fã de esportes a motor. Temporada bipolarizada Não existe mais a supremacia de uma ou outra equipe. Voltamos a ter de fato a briga entre times e pilotos pela pole position, pela volta mais rápida, pela vitória e por pontos no campeonato.

Após chegar em segundo na Austrália, Lewis Hamilton ganhou na China.

Após duas provas, a Fórmula 1 parece ter se tornado mais equilibrada do que em anos anteriores. Ferrari e Mercedes, e seus pilotos, têm desempenhos muito semelhantes, acirrando a disputa e trazendo mais emoção para o fã de esportes a motor.

Temporada bipolarizada

Não existe mais a supremacia de uma ou outra equipe. Voltamos a ter de fato a briga entre times e pilotos pela pole position, pela volta mais rápida, pela vitória e por pontos no campeonato. Tudo isso graças às adaptações que a todos tiveram que se submeter para se adequar ao novo regulamento da categoria.

Quem quer ver um campeão diferente, reclama que Sebastian Vettel foi muito prejudicado pelo safety car na última corrida. Todos os concorrentes aproveitaram sua presença na pista para fazer a troca de pneus. A estória teria sido outra se estes carros parassem nos boxes em voltas comuns. Não adianta lamentar, pois no primeiro grande prêmio se sucedeu justamente o contrário, prejudicando Hamilton. Fato é que a corrida seguiu e o inglês chegou em primeiro lugar.

Ao que tudo indica, Ferrari e Mercedes brigarão pelo título da temporada de construtores e seus competidores principais pelo título mundial. O finlandês Bottas, da escuderia alemã e o seu compatriota Räikkönen do time italiano, deverão lutar para ser o terceiro melhor do mundo. Os esportistas da Red Bull, Ricciardo e Verstappen, deverão ficar no pelotão seguinte. Havia uma esperança de que as máquinas austríacas pudessem dar asas, fazer frente e brigar de igual para igual, coisa que até o momento não aconteceu. Aliás, o desempenho de seus automóveis ainda está longe das duas equipes favoritas. A RBR parece isolada como terceira força, bem à frente da Williams.

O show de Verstappen

O vencedor moral do GP da China foi Max Verstappen. Seu RBR teve problemas no motor durante os treinos classificatórios e o holandês teve que largar na 16a posição. A diferença nos carros é tamanha, que ao completar a primeira volta, ele já era o sétimo. Cinco voltas depois, aparecia em quarto. Na 11a volta assumiu a vice-liderança, até que foi necessário trocar seus pneus intermediários por outros para asfalto seco. O show de ultrapassagens resultou no seguinte comentário do atleta: “parecia videogame”. Ele terminou a corrida em terceiro lugar.

A polêmica das ultrapassagens

Todos os corredores concordam que ultrapassar ficou muito mais difícil em 2017 que antigamente. Mas e o show de Verstappen que descrevi acima? É preciso concordar que a aerodinâmica assumiu uma importância enorme, dificultando que um carro cole no outro. O próprio holandês assumiu que só conseguiu a incrível recuperação porque resolveu ganhar as posições logo no começo e seu automóvel é de um dos três times mais fortes do ano.

No começo de uma corrida, quando todos estão embolados, a habilidade ao dirigir, a redução de visibilidade, freadas e acelerações bruscas, autoconfiança, eventualmente chuva, entre outros fatores, fazem a diferença.

Williams e Massa sofrem

Depois do sexto lugar na estreia, esperava-se mais de Felipe Massa na segunda prova do ano. Largando em sexto, não era impossível que ele pontuasse. Embora tento obtido um bom resultado no treino, ele completou a prova em 14o.

Desde que a tecnologia híbrida foi introduzida na fórmula 1 em 2014, a Williams nunca se acertou. Seus carros são sofríveis em provas sob chuva, pisos de pouca aderência ou em circuitos que exigem demais da carga aerodinâmica. Os projetistas que trabalharam na escuderia durante três temporadas foram substituídos por novos mas parece que os problemas não foram resolvidos.

Sendo assim, não se pode esperar muito do brasileiro. Pelo menos, tudo indica que sua equipe ainda é superior à Renault, Haas, Force India e Sauber.

Quem largará na ponta e quem estourará o waard?

Depois do momento da fórmula um descrito acima, não é de se estranhar que a previsão aponta em ordem Mercedes, Ferrari, Mercedes, Ferrari, Red Bull, Red Bull no grid de largada. Hamilton está cotado em R$ 1,66 para um para sair em primeiro, segundo o Bet365. Vettel (R$ 3,50), Bottas (R$ 5,00), Räikkönen (R$ 11,00), Ricciardo (R$ 34,00) e Verstappen (R$ 34) devem começar das três primeiras filas do grid. Massa é o sétimo mais cotado para ser o pole e paga-se R$ 101 se isso acontecer.

Como no emirado do Bahrein é proibido o consumo de bebidas alcóolicas, quem sobe no lugar mais alto do pódio recebe um waard para ser estourado. Esta bebida é um spray de água de rosas não alcóolico. Os prováveis tomadores desta bebida são listados na mesma ordem do treino: para cada investimento de cem reais: Hamilton (R$ 183), Vettel (R$ 287), Bottas (R$ 700), Räikkönen (R$ 1.000), Verstappen (R$ 3.400), Ricciardo (R$ 4.100) e Massa (R$ 75.100).

Há diversas maneiras de se ganhar dinheiro se divertindo com os grandes prêmios. Prever o primeiro piloto a abandonar é uma delas. Se este for Romain Grosjean, por exemplo, paga-se R$ 190 para dez.

Próxima parada: Rússia

Depois de Sakhir, o circo da fórmula 1 irá para Socchi, onde será realizado o GP da Rússia, quarta prova do calendário.

Odds para apostas no GP do Bahrein:

A corrida acontece no dia 16 de abril. Confira abaixo as opções de apostas e o valor a ser recebido para cara R$ 1 investido no vencedor.

Vencedor da corrida:

Odds em 12 de abril, segundo o Bet365

  • 1o Lewis Hamilton - R$ 1,83
  • 2o Sebastian Vettel - R$ 2,87
  • 3o Valtteri Bottas - R$ 7,00
  • 4o Kimi Räikkonen - R$ 10,00
  • 5o Max Verstappen - R$ 34,00
  • 6o Daniel Ricciardo - R$ 41,00
  • 7o Felipe Massa - R$ 751
  • 8o Carlos Sainz - R$ 751
  • 9o Kevin Magnussen - R$ 1.001
  • 9o Romain Grosjean - R$ 1.001
  • 9o Sergio Perez - R$ 1.001
  • 12o Daniil Kvyat - R$ 1.501
  • 12o Esteban Ocon - R$ 1.501
  • 12o Lance Stroll - R$ 1.501
  • 12o Nico Hulkenberg - R$ 1.501
  • 16o Fernando Alonso - R$ 2.001
  • 17o Jolyon Palmer - R$ 2.501
  • 18o Antonio Giovinazzi - R$ 3.001
  • 18o Marcus Ericsson - R$ 3.001
  • 18o Stoffel Vandoorne - R$ 3.001
Pole position:

Odds em 12 de abril, segundo o Bet365

  • 1o Lewis Hamilton - R$ 1,66
  • 2o Sebastian Vettel - R$ 3,50
  • 3o Valtteri Bottas - R$ 5,00
  • 4o Kimi Räikkönen - R$ 11,00
  • 5o Daniel Ricciardo - R$ 34,00
  • 5o Max Verstappen - R$ 34,00
  • 7o Felipe Massa - R$ 101
  • 8o Carlos Sainz - R$ 501
  • 8o Kevin Magnussen - R$ 1.501
  • 8o Nico Hulkenberg - R$ 501
  • 8o Romain Grosjean - R$ 501
  • 8o Sergio Perez - R$ 501
  • 13o Daniil Kvyat - R$ 1.001
  • 13o Lance Stroll - R$ 1.001
  • 15o Esteban Ocon - R$ 2.001
  • 15o Fernando Alonso - R$ 2.001
  • 15o Jolyon Palmer - R$ 2.001
  • 17o Antonio Giovinazzi - R$ 3.001
  • 17o Marcus Ericsson - R$ 3.001
  • 17o Stoffel Vandoorne - R$ 3.001
Classificação de pilotos:

Odds em 12 de abril, segundo o Bet365

  • 1o Sebastian Vettel - 43
  • 2o Lewis Hamilton - 43
  • 3o Max Verstappen - 25
  • 4o Valtteri Bottas - 23
  • 5o Kimi Räikkonen - 22
  • 6o Daniel Ricciardo - 12
  • 7o Carlos Sainz Jr. - 10
  • 8o Felipe Massa - 8
  • 9o Sergio Pérez - 8
  • 10o Kevin Magnussen - 4
  • 11o Daniil Kvyat - 2
  • 12o Esteban Ocon - 2
Classificação de construtores:

Odds em 12 de abril, segundo o Bet365

  • 1o Ferrari - 66
  • 2o Mercedes - 65
  • 3o Red Bull - 37
  • 4o Toro Rosso - 12
  • 5o Force India - 10
  • 6o Williams - 8
  • 7o Haas - 4