Procurador-geral do Irã anuncia extinção de política da moralidade: 'Pessoas a desmantelaram'

Torcedora usa camisa em protesto a governo do Irã (Foto: EFE/EPA/Abedin Taherkenareh)


Após meses de protesto, a população do Irã pode comemorar uma grande vitória. O procurador-geral do governo do país, Hojatolislam Mohammad Jafar Montazari anunciou neste sábado, a extinção da política de moralidade.

+ Com Neymar, Brasil fecha preparação para enfrentar a Coreia do Sul; veja provável escalação

Nos últimos anos determinada política foi muito criticada devido a rigidez e o histórico de prisões violentas. Em setembro, a jovem curda Mahsa Amini, de 22 anos, foi assassinada após ser detida por não seguir com as normas de vestimenta do país sobre o uso do véu islâmico.

O ocorrido foi o estopim para surgir manifestações por todo o território nacional. Vale lembrar, que o time masculino de futebol do Irã chegou a também prestar uma manifestação sobre o ocorrido durante a Copa do Mundo de 2022.

Desde o início dos protestos em setembro, o Ministério do Interior informou que mais de 300 mortes foram computadas entre manifestantes, agentes de segurança e grupos armados.

+ Separada de Adriano após um mês de casamento, Micaela posta na praia e manda recado

Além disso, o procurador-geral também anunciou que a lei sobre o uso do véu islâmico também esta sendo debatida. Os órgãos do governo estariam avaliando mudanças na norma sobre a obrigatoriedade do acessório.