Procura pela camisa da seleção dispara às vésperas da estreia na Copa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A estreia da seleção brasileira contra a Sérvia nesta quinta-feira (24), véspera de Black Friday, fez disparar a procura por camisetas do time pentacampeão.

Até pouco tempo associadas à polarização política -os apoiadores do atual presidente Jair Bolsonaro (PL) tomaram a camisa como indumentária oficial-, a camiseta amarela voltou às origens com o Brasil em campo. O próprio presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) postou nesta quarta um vídeo nas suas redes sociais em que aparece carregando a bandeira brasileira, com a mensagem: "O verde e amarelo pertence a todas as cores deste país."

De acordo com o líder nacional em comércio eletrônico, o Mercado Livre, o produto foi o mais buscado na terça-feira (22), passando à frente de celulares (segundo item mais buscado no marketplace), notebooks (em quarto lugar) e ventiladores (quinto).

"O primeiro lugar em buscas foi 'camisa do Brasil' e, o terceiro, 'camiseta do Brasil', o que nos faz concluir que a procura pelo principal item da seleção teve tanta demanda que conseguiu transformar o top 5 em um top 4, o que só demonstra que o consumidor brasileiro é apaixonado por futebol", disse Júlia Rueff, diretora sênior de marketplace do Mercado Livre.

O produto também está na lista dos mais vendidos da Amazon, atualizada hora a hora. Nesta quarta, por volta das 13h, a camisa oficial da seleção brasileira era o oitavo produto mais vendido da versão brasileira do site.

Na lista dos produtos em alta, a camisa era o quinto item do ranking, com preços a partir de R$ 94,90. Por produto em alta a Amazon entende itens que mais cresceram em vendas nas últimas 24 horas. No caso da camisa da seleção, o avanço foi de 1.174% no período.

Mas não foram apenas os grandes marketplaces que registraram a busca pela camiseta verde e amarela. Nas ruas do bairro de Santa Cecília, na região central de São Paulo, pequenos varejistas expunham seus estoques, enquanto consumidores de última hora corriam para garantir o manto, em versões pirata da camisa oficial amarela da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e também outras, mais estilizadas, nas cores azul e verde. Tudo em clima de Black Friday, com preços entre R$ 15 e R$ 25.

"Esta é realmente uma Black Friday que vai entrar para a história, pela conjunção da principal data do varejo com o maior campeonato de futebol do mundo", disse à Folha de S.Paulo Fernanda Nakazaki, líder de insights do Mercado Livre para a América Latina. "Como resultado, vemos essa busca acelerada por camisetas do Brasil."

Uma busca que vai permanecer nos próximos dias, segundo os varejistas, a depender do desempenho da seleção canarinho em campo.